Publicidade

Posts com a Tag serena williams

quarta-feira, 5 de outubro de 2011 Tênis Feminino | 11:17

Magoou?

Compartilhe: Twitter

Magoou! Serena Williams não vai jogar mais nenhum torneio este ano. A informação está confirmada no site da tenista. Talvez a derrota na controversa final do US Open tenha algo a ver com isso. Talvez não. Ela jogou bem pouco no ultimo ano e vai perder dois torneios mandatórios, além do Masters feminino, para o qual não se classificou de qualquer maneira. Ela alegou que é por contusão, sem dizer qual. Vai pagar a multa e basta.

Serena divulga que compete só em 2012, o fica difícil de entender sob que luz a moça enxerga sua carreira – ela ficou quase um ano sem competir. As outras moças devem ter aberto uma Cristal lá no Oriente.

Ela já confirmou à Federação Americana que participará da Fed Cup em 2012 – mas tem lá suas segundas intenções. Agora quer jogar porque precisa jogar pelo menos duas temporadas para ser elegível para as Olimpíadas de Londres. Só que ela não joga o Fed Cup desde 2007. Como isso vai ficar só vendo. É nessas horas que entram o “veja bem” e alguém tira um convite do bolso.

Serena – pra que tênis? Vamos a la playa..

Autor: Tags:

terça-feira, 23 de agosto de 2011 Tênis Feminino, Tênis Masculino | 17:46

Perigo à vista

Compartilhe: Twitter

Os americanos são mesmo umas peças. Nem sei mais se a questão é esse negócio de “politicamente correto”, já que essa causa eles abraçam quando querem e sob o prisma que bem entendem. Depois que eles “decidiram” que a batata frita (french fries) passaria a ser chamado de batatas da liberdade (freedom fries), após os franceses não comprarem a idéia de eles invadirem quem e quando quisessem, eu acredito quase em qualquer coisa.

A organização do evento, com o consentimento, eu diria com a orientação, da Federação Americana de Tênis, decidiu que Serena e Venus Williams não terão um “ranking” diferenciado para a determinação dos cabeças-de-chave. Eles irão obedecer o ranking da WTA.

É bom lembrar que em passado recente eles fizeram escolhas diferentes nessa área, algumas bem criticadas outras nem tanto. Lembro quando eles deram um “downgrade” em Alex Corretja, que colocou a boca no trombone nos vestiários e na mídia e houve até ameaça de boicote – tanto lá como em Wimbledon que é bem mais “politicamente incorreto”. O fato ajudou a eleger Corretja presidente da ATP, fato que ajudou a colocar o tênis americano no caixão que hoje vive. Mas isso é outra história.

Como Serena é a #29 do ranking, ela pode, teoricamente, enfrentar uma das cachorronas logo na 3ª rodada. Lembrando que recentemente Serena vem chutando as meninas à gosto. Só para complicar, Venus sequer será cabeça de chave, podendo cair logo na 1ª rodada com a irmã ou, por exemplo, com a “cruzadinha” Wozniacki, que não deve estar gostando nada dessa história.

Fechando o assunto, e voltando à questão das ambiguidades americanas, se vocês abrirem o site do torneio hoje, duas das cinco notícias principais do evento são sobre Serena e a chamada principal do evento é uma foto-montagem de Djoko e Serena. São mesmo “politicamente corretos” enquanto objetivamente incorretos.

Serena – estrela e favorita, mas cabeça de chave não….

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 22 de agosto de 2011 Tênis Feminino | 13:22

Enlouquecidas em New York

Compartilhe: Twitter

Comendo por fora, Maria Sharapova volta a ser um fator no circuito feminino. A fashionista russa já é a #4 do ranking, após a vitória em Cincinnati, sobre Jankovic em quase 3hs de jogo por 4/6 7/6 6/3, e vai para New York como uma das favoritas, sob as luzes da ribalta que ela adora. Afinal, a moça ganha mais dinheiro do que qualquer uma de suas adversárias graças ao seu “trabalho” fora das quadras, no que ela é muito boa, e New York é o centro do universo para tirar proveito desse fator. Se você pode vencer lá, pode vencer em qualquer lugar.

Eu diria que Maria e Serena Williams, outra que vem aos poucos se impondo novamente e que apesar do longo tempo longe das quadras tem mais pegada do que qualquer uma, são as favoritas ao último título de Grand Slam da temporada. O diferencial a favor das duas seria a maior experiência em títulos nos grandes eventos e o piso, rápido, que as ajuda. Serena adoraria mostrar que ainda pode, especialmente dentro de casa, na frente do público mais indócil dos GS, um perfil que ela deve adorar. Isso sem falar que ela deve ter aquela quadra central engasgada.

Mas, do jeito que as gatas andam se estranhando, a nova geração deve ter péssimos planos para acabar com a festa de ambas e começarem a se impor de uma vez por todas. Azarenka, Kvitova, Na Li e, por que não, Wozniacki, todas têm cacife para entrar nessa briga. Isso sem contar com algumas outras, como Zvonareva, Radwanska, Jankovic, Kuznetsova e, por que não, Ivanovic, que podem enlouquecer na Big Apple e surpreender.

Sharapova x Jankovic – as duas se odeiam desde os tempos de meninas.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 2 de agosto de 2011 Light, Tênis Feminino | 14:09

As 10 mais do Forbes

Compartilhe: Twitter

A revista Forbes divulgou, e o portal iG publicou, a lista das esportistas mais bem pagas nos últimos 12 meses. Que fique claro, apesar de que a Forbes não o deixa; isso são estimativas. Porque o que elas ganham só elas, seus agentes e, talvez, algum órgão da Receita saibam. Por exemplo, a 2ª da lista, Caroline “cruzadinha” Wozniacki, apesar de dinamarquesa, declara a residência em Monte Carlo, um paraíso fiscal.

Que a Maria Sharapova, 24 anos, seja a primeira da lista não é surpresa. É de longe a mais fotografada, especialmente fora das quadras. Lembro que quando escrevia no “Estadão” uma fulana vencia um evento e publicavam uma foto da Sharapova que perdera na semifinal. Uma loira de 1.88m de altura, com os traços finos, com um fino senso fashion e marqueteira na “úrtima” vai vender melhor do que algumas cafonérrimas que se metem a gostosonas ou fashionistas e que mal conseguem construir uma sentença. O fato de ela não ganhar um Grand Slam desde 2008 (Austrália) e não ser a #1 desde 2005 não mexeu em nada com seus cifrões, o que, de certa forma, delineia as prioridades dos patrocinadores.

Caroline é a 2ª da lista. A moça é a atual #1 do mundo do tênis, loirinha, eu já não acho bonitinha, mas tem uma legião que acha, então faz algum sentido sua colocação. Imaginem se começar a ganhar Grand Slams – afinal ela completou 21 aninhos.

E se a Na Li aparece em oitavo lugar, após vencer Roland Garros em Maio e ir à final do AO em Janeiro, mostrando que a moça deve faturar com o tempo megas-dólares, ou pelo menos megas-yuans, por resultados em quadra, ainda sobrou um lugarzinho na lista para Aninha Ivanovic, que faturou U$6 milhões nos últimos seis meses, após ter perdido na 1ª rodada de dois dos três GS da temporada, ser #18 do ranking, após ter sido #1 em 2008, quando venceu Roland Garros. Também com 1.88m, mas morena, para um contraponto, a moça prova que aquele corpão e o jeitinho de menina ainda vale milhões.

As duas irmãs Williams estão com rankings horríveis – Venus #34 e Serena #79 . Venus não ganhou nada este ano. Serena nem jogou durante um ano. Mas venceu o AO e Wimbledon no ano passado. As moças não jogam muito, mas quando jogam fazem um estrago, o que é, no mínimo, ambíguo. Além disso, são negras, o que tem suas vantagens e desvantagens nesse mundo maluco que vivemos e, mais ainda, aonde vivem.

O que mais salta aos olhos nessa lista das 10 primeiras esportistas bem pagas, é que sete são tenistas. O que me faz pensar que, independente de diferentes pontos de vista sobre o assunto, o pessoal da WTA está com sua estratégia de marketing afiada. Este mês li em algum lugar o Emilio Sanches metendo o pau na WTA e seu circuito. Ainda bem que as moças não contrataram o rapaz.

De qualquer maneira, no mundo dos esportes, as mulheres tenistas reinam absolutas, o que dá uma importância enorme ao tênis feminino, assim como evidencia uma perspectiva interessante de como o mundo gosta de ver suas mulheres; de sainha e raquete na mão.

1º Maria Sharapova Rússia Tênis 25 milhões
2º Caroline Wozniacki Dinamarca Tênis 12,5 milhões
3º Danica Patrick Estados Unidos Automobilismo 12 milhões
4º Venus Williams Estados Unidos Tênis 11,5 milhões
5º Kim Clijsters Bélgica Tênis 11 milhões
6º Kim Yu-na Coreia do Sul Patinação no gelo 11 milhões
7º Serena Williams Estados Unidos Tênis 10,5 milhões
8º Na Li China Tênis 8 milhões
9º Ana Ivanovic Sérvia Tênis 6 milhões
10º Paula Creamer Estados Unidos Golfe

Maria – super fashion e mega dólares

Aninha – entre as bolas e as fotos.

5,5 milhões
Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 1 de agosto de 2011 Tênis Brasileiro, Tênis Feminino, Tênis Masculino | 11:34

Domingo de oportunidades

Compartilhe: Twitter

Serena Williams terminou o que começou. Não só deu uma coça na Sharapova nas quartas de final, como foi até o fim e venceu o torneio batendo Marion Bartoli na final. A moça, quando motivada, ainda é a melhor do mundo. Poucas vezes o tênis viu um competidor como ela.

Em Umag, Croácia, Dolgopolov conquistou seu primeiro título na ATP Tour. Ele já tinha ido a uma final, na Bahia. Bateu o Marin Cilic, tenista de casa e eterna promessa não realizada. Auaauaau!

Na charmosa Gstaad, o mágico Marcel Granollers encontrou uma maneira de derrotar Wawrinka, Youzhni e Fernando Verdasco e ficar com o título nos Alpes suíços. O evento já foi um dos maiores da Europa e um dos favoritos dos tenistas. Hoje virou uma boa oportunidade para tenistas surpreenderem seus adversários, inclusive pela altitude (1100m). Granolers levou os pais para assistirem á final e, após a vitória, chorou copiosamente de emoção. É um daqueles tenistas limitados tecnicamente, mas como uma disposição enorme para conquistar um lugar ao sol.

João “Feijão” Sousa aproveitou os últimos torneios sobre o saibro europeu para fazer sua escolha estratégica e se dar bem no ATP Tour. Passou tanto o qualy de Gstaad, onde foi eliminado na primeira rodada pelo português Gil, e neste fim de semana passou o qualy de Kitzbuhel, outra charmosa estação de esqui, esta incrustada no Tirol austríaco.

No Domingo, Feijão realizou o que tem que ser considerado um feito e que remete ao que um dia foi um cenário na formação de tenistas. Ele foi obrigado a jogar duas partidas no mesmo dia e deu um jeito de vencer ambas. Bateu o austríaco Tristan Weisborn em três horas de jogo e depois de um intervalo de duas horas entrou em quadra e bateu o romeno Viktor Crivoi por 6/2 7/6 (10/8). Um ótimo dia de trabalho!

Na terça-feira o brasileiro enfrenta o polonês Jerzy Janowicz, #142 do ranking, que também veio do qualy, no que deve ser considerado como uma excelente oportunidade.

Feijão – aproveitando oportunidades criadas.

Autor: Tags: , , ,

sábado, 30 de julho de 2011 Tênis Feminino | 21:07

A volta

Compartilhe: Twitter
As quadras de tênis da Universidade de Stanford, uma das melhores da Califórnia e do mundo, hospedam um dos melhores torneios do circuito feminino. Nesta sexta-feira, nas quartas de final aconteceu uma partida marcante, que nos relembra de uma realidade do circuito que estava afastada de nossas mentes.
A partida foi entre Maria Sharapova, finalista em Wimbledon e eterna candidata a um novo título nos torneios Grand Slams. Para quem não se lembra, Serena esteve afastada do circuito um ano por conta de uma contusão no pé e um grave problema de saúde e viu seu ranking despencar para #169. O evento em Stanford é o primeiro que a melhor tenista da década joga em seu país desde o US Open de 2009.
Apesar da falta de ritmo, como vimos em Wimbledon, Serena continua perigosa e, por conta do longo tempo longe das quadras, vem babando para os torneios. Ela pegou a russa e deu-lhe uma bela chacoalhada, vencendo por 6/1 6/3, uma surra de qualquer jeito que se olhe, provando que a moça deve ser uma das favoritas no US Open, que acontece daqui a uma mês, tempo mais do que suficiente para ela adquirir ainda mais ritmo.
Neste sábado Serena enfrenta a alemã Sabine Lisicki, outra tenista que teve sérios problemas de saúde, deu a volta por cima, venceu Birmigham e perdeu nas semis de Wimbledon para Sharapova.
Serena deu uma aula na Sharapova.
Autor: Tags: ,

sexta-feira, 22 de julho de 2011 Tênis Feminino | 12:01

Protegida

Compartilhe: Twitter

Só uma curiosidade. Imaginando como os organizadores do U.S. Open irão lidar com o fator Serena Williams. Ele é a atual #172 do ranking, o que a deixa fora do torneio. O torneio não precisará lhe oferecer um convite, já que ela usará seu “ranking protegido” da WTA. O fator a que me refiro é como eles usarão a prerrogativa de lhe dar um status de cabeça-de-chave – se no mesmo cenário de Wimbledon, onde ela foi #7, algo melhor, ou pior? Provavelmente seus resultados até o torneio farão uma diferença. Mas o quanto eles a respeitam é que será determinante.

Serena em recente evento da ESPN.

Autor: Tags: ,

segunda-feira, 27 de junho de 2011 Tênis Brasileiro, Tênis Feminino, Tênis Masculino | 23:22

Foram-se

Compartilhe: Twitter

Foram-se nesta 2a feira, entre outros, Gasquet e sua deliciosa esquerda, Caroline seu ranking e suas cruzadinhas, Venus seus títulos e suas ridículas ceroulas, Serena sua garra e intimidações, Del Potro sua periculosidade e bolas retas, Llodra seus voleios e maluquices, Youzhny sua esquerda e continências, Berdich seu vice e inconstâncias, Petrova sua elegância e tremedeiras, Kubot e suas fantasmices, Aninha e Petkovic com suas danças, caras e bocas.

Atenção no curto prazo à Petra Kvitova e no longo prazo à Bia Maia.

Venus e o que é isso? Berdich reclamando. Petra e seu talento.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 13 de abril de 2011 Light, Tênis Feminino | 14:00

Cinderelas

Compartilhe: Twitter

Cinderelas. As melhores do mundo vêm sofrendo alguma praga em seus preciosos pezinhos nos seus preciosos momentos de lazer.

Primeiro foi Serena Williams, sem jogar desde Agosto por conta de um corte no pé em um restaurante, ou seria um bar, na Alemanha. Serena voltou a bater bolas nesta terça feira. Mas ainda é prematuro afirmar a data de sua volta às competições.

A nova Cinderela é Kim Clijsters, que recente chegou a roubar a 1ª posição do ranking mundial da dinamarquesa Wozniacki. A belga estava no casamento da irmã e torceu o pé, danificando os ligamentos. Provavelmente estava arriscando sua beleza e sua carreira em cima de um salto alto. As mulheres perdem a carreira mas não perdem a vaidade. Duvido que torceria o pé usando uma sandália. E a moça é tudo, menos baixinha.

Kim não dá maiores detalhes, mas adianta que, provavelmente, ficará fora de Roland Garros, o que será uma perda enorme para o evento. Talvez Serena esteja pronta para Paris. Vamos ver como as Cinderelas administram seus pezinhos.

Cinderelas com seus valiosos e vulneráveis pés.

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 3 de março de 2011 Tênis Feminino | 00:46

Embolia

Compartilhe: Twitter

Acompanhei na ESPN-HD os comentários, pelo telefone, do colega comentarista, e diretor de formação da federação americana de tênis, Patrick McEnroe, sobre a situação da saúde de Serena Williams.

Como sempre, muito mistério cerca a saúde da tenista. O que se sabe, por um comunicado oficial, é que a moça sofreu uma embolia pulmonar. Pelo o que entendi, a doença se desenvolveu em uma das pernas e viajou para o pulmão. O diagnóstico da embolia surgiu na semana passada, em exame por conta dos problemas no pé. Serena esteve presente em festas do Oscar na segunda-feira e nessa noite foi internada por conta de um hematoma. Segundo médicos, o problema pode surgir por conta de razões diversas como viagens de avião, cirurgias, pílulas anticoncepcionais, obesidade.

Sempre fiquei a imaginar do por que Patrick foi capitão da Copa Davis durante tantos anos e agora coordena a formação no tênis americano. É um posto de prestígio atrás do outro, bastante mesmo se fosse por conta de ser o irmão caçula de John.

Ficou claro que o rapaz é um tremendo político, apesar de não ser essa a única fama que tem nos vestiários. Pareceu mais preocupado em falar bem da tenista do que oferecer maiores informações. Disse que o tênis sente sua falta e que reza por ela.

Só me surpreendeu ao também afirmar que a moça, de 29 anos, é uma das melhores da história e que deve chegar a 20 títulos de Grand Slam!

Espera aí – vamos agradar, mas não vamos exagerar. Serena venceu 13 GS nos seus melhores doze anos de carreira. Como é que vai ganhar mais sete já no seu declínio e com a situação atual? Com tantos problemas, e a sua conhecida propensão a se afastar das competições, se comparado com outras tenistas, fica mais acentuada a dúvida do futuro tenístico de Serena Williams.

Considerando o estado atual do tênis feminino, em especial do americano, e da sua capacidade de imperar quando com vontade de jogar e bem fisicamente, Serena continuará fazendo falta. Independente do resto.

Serena – demográficos de risco.

Autor: Tags:

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última