Publicidade

Posts com a Tag serena williams

domingo, 5 de agosto de 2012 Olimpíadas, Tênis Feminino, Tênis Masculino | 20:52

O que aconteceu?

Compartilhe: Twitter

Quem assistiu a final feminina deve ter ficado, como eu fiquei, curioso com a cerimônia de entrega de medalhas. As tenistas perfiladas, ouvindo o hino americano, de repente começaram a rir enquanto um tremendo burburio vinha das arquibancadas. O que aconteceu?

Lógico que a cameras inglesas não mostraram, mas aqui vocês vão descobrir a cena inédita que pertubou a cerimônia. Fiquem de olho nas bandeiras, ao fundo e à esquerda da quadra.

Autor: Tags: ,

sábado, 4 de agosto de 2012 Sem categoria | 13:18

Torneio de Toronto

Compartilhe: Twitter

Aqui vai o Post para o Aberto do Canadá, este ano disputado em Toronto. Estou imaginando quantas desistencias acontecerão no evento, que acbou prejudicado pelo calendário em ano olímpico.

Autor: Tags: ,

sexta-feira, 3 de agosto de 2012 Olimpíadas, Tênis Feminino, Tênis Masculino | 14:30

Para quem?

Compartilhe: Twitter

Não sou muito de torcer, especialmente no tênis. Fico muito compenetrado em curtir e analisar o jogo para me envolver emocionalmente. Mas, Olimpíadas é um pouco diferente. Para eles tenistas e para mim apreciador.

A semifinal entre Federer e Delpo foi tão emocionante que exigiu um envolvimento emocional. O problema foi decidir para quem torcer. Tinha hora que o coração batia pelo Delpo, tinha hora que ele amolecia pelo suíço. Afinal, Roger, o melhor da história, quer muito colocar o ouro das simples no peito e, ao mesmo tempo, prefiro torcer por um hermano do que por um europeu.

Nunca vi Federer tão pressionado em quadra. Oscilou demais. Mas não aquela oscilação a que estamos acostumados. Foi o inverso. Ele parecia querer tanto ficar atento, jogar bem e ganhar, que fazia erros abaixo de seu padrão. Vários por falta de mexer os pés, primeiro sinal de nervosismo, muitos simplesmente por errar o golpe, algo fora de seu habitual.

Delpo pareceu não acreditar que dava para levar. Quando soltava o braço e ia para as bolas, que sempre foi o cenário onde é mais perigoso, incomodava barbaridades e acuava o adversário. No fim das contas, faltou ser um pouco mais audaz nos games de devolução do suíço no interminável 3º set. Afinal, o cara tem 2m de altura e é um inferno ter que passar alguém desse tamanho e envergadura quando se está sob pressão, que é o cenário de quem saca atrás no set final que se alonga.

Quanto ao suíço, podem tirar o cavalinho da chuva que o soberbo não vai mudar – não nesta encarnação. Quando ele usava o slice para atacar o adversário, desestabilizava e atrofiava o oponente. Mas era um aqui e outro lá a perder de vista. Quem disse que o bonitão do topete vai usar isso para ganhar jogo? Para quebrar, e fechar a partida, teve que aplicar um slice no revés, mesmo a contragosto, já que estava totalmente deslocado, após um net do oponente. Não deu outra – Delpo enfiou a bola no meio da rede, algo que teria acontecido muito mais, e abreviado a partida, se o tal melhor do mundo fosse também um grande estrategista, além de um grande intuitivo e um magistral talento.

Debaixo de que pedra a Azarenka, #1 do ranking, vai se esconder depois da surra (6/1 6/2) que ela tomou da Serena? A americana está um padrão acima das outras tenistas, graças a sua enorme confiança, e será difícil alguém tirar o ouro dela. Nas simples e nas duplas com a irmanzinha Venus. Só não irá à final das mistas porque não quis jogar – apesar de que o Roddick bem que queria. A final das simples é contra Maria Sharapova, o que será uma pancadaria dos infernos.

Não posso deixar de mandar os parabéns ao Rafael Silva, um atleta do Clube Pinheiros, e ao judô brasileiro em geral. Antes dos Jogos vi uma entrevista com o rapaz e fiquei impressionado com sua tranquilidade, em especial para um cara daquele tamanho e periculosidade.

O tênis plástico de Federer está na final Olímpica.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 26 de julho de 2012 Olimpíadas, Tênis Brasileiro, Tênis Feminino, Tênis Masculino | 10:56

As chaves olímpicas

Compartilhe: Twitter

Chavinha interessante essa masculina das Olimpíadas. De repente, você olha para a metade de baixo e pensa: está todo mundo por aqui! Djoko, Murray, Tsonga, que enfrenta Bellucci logo na 1ª rodada, Raonic, Cilic, Birdich e, não menos importante, Andy Roddick, tudo gente com a mão pesada. Dá para pensar; que gelada.

Olhando a chave de cima, temos Federer, que enfrenta o Falla na 1ª rodada, e então o Isner e o Karlovic (que se machucou e está fora), ambos sacadores, mas um pouco lentos para a grama, o quase aposentado Nalbandian e o Tipsarevic, este só coloquei porque é cabeça e enfrenta o argentino na 1ª rodada, todos no mesmo quadrante. Só que, os dois últimos quadrantes, cujos cabeças são Ferrer e Delpo, podem ser considerados babas olímpicas de primeira qualidade.

Se Bello terá estreia dura, contra o semifinalista de Wimbledon Jo Tsonga, as duplas brasileiras não terão vida fácil. A chance do brasileiro reside no fato do francês pirar legal no ambiente dos Jogos. Ajudaria se sacar muito também. Nas duplas, Bello e Sá enfrentam os irmãos Bryan, o que não dá para chamar de sorte, e Mello/Soares pegam Isner/Roddick, dois dos três maiores sacadores do tênis atual. Arreehh!

A chave feminina não tem tantas sinucas, até porque não tem tantas zebrinhas na pastagem. Mas temos algumas partidas interessantes logo de cara. Radwanska e Goerges, Ivanovic x McHale, Vinci x Cljisters, que não é cabeça e pegaria a Stosur na 2ª, Li x Hantuchova, Serena x Jankovic, Venus x Errani (que precisa cuidar para não tomar outro set dourado na grama). Mas a distribuição das forças pela chave ficou equilibrada.

Tudo isso a partir de sábado e, que eu saiba, com pouquíssima ou nenhuma televisão.

E vocês acharam que eu iria colocar alguem com a mão em um caneco sorteando um lugar na chave??

E para as moças não reclamarem..


Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 12 de julho de 2012 Light, Tênis Feminino | 12:34

Peladonas

Compartilhe: Twitter

Tem gosto para tudo, mas o pessoal da revista ESPN americana tem uma quedinha pelo extremo. Desde 2009 eles publicam anualmente uma edição chamada Body onde publicam fotos de atletas profissionais nus – peladinhos. Lógico que uns mais interessantes do que outros. Estou usando o masculino, porque não vou escrever “atletos” só para imitar e confrontar nossa Presidenta, mas, na verdade, esses eu passou rapidinho, antes de algum incomodo maior me afligir, e me concentro nos corpos femininos. Mas as edições são imperdíveis, em vendem como água, porque as fotos, e os corpos, na maior parte das vezes, são espetaculares.

De volta ao radicalismo da revista. Em 2009 eles publicaram fotos da Serena, que ficou mais do que feliz em mostrar toda a sua opulência. Em 2010 eles convidaram a cadeirante Esther Verger, em 2011 Vera Zvonareva, que era #2 do mundo e sempre me pareceu bem recatada (adorei o fato de ela não ter dado aquela encolhida na barriga como tantas), e que de lá para cá, infelizmente, não ganhou mais nem par ou impar, e agora convidaram a Hantuchova, a anoréxica das quadras que acredita ser a coisa mais incrível que já bateu em uma bolinha.

Salta aos olhos o fato de que, ao que tudo indica, nenhum tenista aceitou posar peladão para a revista, ou tem lá na editoria alguém que não quer saber de um pelado com a raquete na mão. Vale lembrar que são vários os peladões dos outros esportes. Alguns tenistas até já tiraram a roupa, como Tsonga, Robredo, Feliciano e Verdasco, mas sempre por razões beneficientes. Quem será o primeiro a ser convidado pela ESPN, e aceitar, entre os machos alfas tenistas?

Autor: Tags: ,

sábado, 7 de julho de 2012 Tênis Feminino | 14:14

Finais femininas

Compartilhe: Twitter

A história do Tênis irá falar bastante das irmãs Williams. Se elas não tivessem vindo para o circuito armadas até os dentes para o que esperavam encontrar no circuito country club do tênis americano, fortemente influenciadas pelo, teriam um reconhecimento muito maior. O mundo do tênis tem um pé atrás com as moças, não totalmente sem razão. Com o tempo a força dos números falará mais alto do que as cores e o mundo saberá reverenciar o que essas duas irmãs conquistaram.

Não vou fazer do Post um relatório de números. Hoje, basta dizer que agora ambas têm 5 títulos em Wimbledon, entre outros. Para se ter uma idéia dessa magnitude familiar, basta dizer que Gustavo Kuerten teve três títulos em Roland Garros e Maria Bueno três em Wimbledon e se tornaram ícones do esporte nacional.

Radwanska entrou em quadra quase que em ponto morto. Pressionada pelo momento maior de sua carreira, a possibilidade de sair da quadra como #1 do mundo e seu primeiro GS teve ainda a mistura condimentada pela incógnita da situação de sua saúde. O primeiro set foi só para testar as águas e por pouco não termina em um pneu. Só a partir do 2º set Agnes começou a acreditar que poderia apresentar alguma oposição à força da adversária – mas dar um set de presente para alguém do gabarito de Serena tem seu preço.

No 3º set Williams voltou a impor seu maior arsenal e Radwanska ficou aquém da exigência. Mas foi divertido ver o quanto uma tenista com tão pouco pode fazer colocando os bons instintos e a inteligência para funcionar. A polonesa é de certa maneira a Murray da WTA – uma perspectiva muito bem vinda. E sem o clima marrento do escocês.

Interessante ainda o fato de que a Polônia de outras grandes tenistas do momento. Os pais Caroline Wosniacki, Sabine Lisicki e Angelique Kerber são poloneses.

Vale mencionar ainda que na Quadra 1 aconteceu a final feminina das juvenis. E guardem esse nome: Eugenie Bouchard. A canadense bateu a ucraniana Svitolina 6/3 6/2. Aos 18 anos Genie joga como uma Professional – já é #269 na WTA. Tem uma direita arrasa-quarteirão, saca que nem gente grande, apesar de ainda jogar a bola muito alta, e, Deus é Pai, sabe volear melhor do que muito marmanjo profissa, o que seu título de duplas em Wimbledon-Juvenil no ano passado atesta – joga amanhã novamente a final das duplas. Tudo isso coroado com um rosto bonitinho, um corpinho mais ainda, força e velocidade. Tá bom?

Serena – aquele momento.

Eugenie Bouchard – futuro promissor.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 5 de julho de 2012 Tênis Masculino | 13:14

13.13h

Compartilhe: Twitter

Final feminina definida entre Radwanska, que se vencer é a #1 do planeta, e Serena Williams. A americana não teve grandes dificuldades em derrotar a barulhenta Azarenka em dois sets. A bielorussa tentou bater a adversária na porrada, cenário onde a americana ainda é imbatível. Variação de jogo, nula.

Na final, como escrevi no Post anterior, Serena é a grande favorita. A vitória da polonesa seria uma zebra de três pernas. Nos dois confrontos anteriores, vitórias de Williams, sendo uma delas em Wimbledon, quatro anos atrás, quando Radwanska tinha 19 anos. Serena tem 41 títulos e a outra 10, sendo que Williams tem quatro só em Wimbledon e mais oito em outros GS – Agni é ainda virgem. Além disso, o jogo de Serena é ainda mais encorpado do que a da adversária, além de mais perigoso e eficiente na grama.

Agora nos resta descobrir se com as qualidades descritas no Post anterior, mais a força de quem vem de uma cidade, Cracóvia, onde os habitantes tiveram que sobreviver em ghetos pouco mais de 50 anos atrás, Agnieszka é capaz de juntar o necessário para preparar uma surpresa para sua adversária, ou se vai se encolher perante o poderio vindo dos ghetos de Los Angeles.

SEMIFINAIS MASCULINAS:

9h de Sexta-Feira: Federer x Djokovic

A seguir: Murray x Tsonga

Mighty Serena.

Autor: Tags: ,

terça-feira, 15 de maio de 2012 Curtinhas, Light, Tênis Feminino, Tênis Masculino | 01:21

Weenies

Compartilhe: Twitter

Já disse mais de uma vez que a Serena Williams é uma falastrona. Os exemplos são inúmeros. A moça fala o que vem à cabeça – que pode ser fato ou simplesmente o que ela acha. Geralmente suas afirmações que denigrem alguém são acompanhadas por algum auto-elogio. Mete o pau para fazer o contraponto a seu favor.

Desta vez, falou bem da atitude das mulheres perante a quadra azul de Madrid, no que concordo em gênero e grau, e aproveitou para dar uma cutucada nos homens, mais especificamente em Nadal e Djokovic, que reclamaram horrores sobre a quadra e nada fizeram no torneio.

Serena, que não gostou da quadra e assim falou antes do evento, foi lá e ganhou o campeonato. Logo depois de vencer disse: “Mulheres são mais fortes do que os homens. Por isso temos bebes. Nós, ladies, não reclamamos, nós simplesmente fazemos o nosso melhor. Nós da WTA somos as estrelas. Nós não ficamos por aí sendo uns “weenies”. Essa ultima palavra, deixei a expressão original em inglês, que pode ser traduzida por alguém que choramingue, um fracote. Como está falando sobre o #1 e #2 do mundo, alguma repercussão deve ter.

Ainda não vi alguma resposta por parte dos homens, nem sei se alguém vai responder, pelo menos oficialmente – a aguardar. Não é oficial, mas parece que Rafa e Novak já conversaram a respeito.

Curta a página do Blog no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDoPauloCletoTenisnet

Rafa e Novak discutindo sobre serem weenies??

Autor: Tags: , ,

domingo, 13 de maio de 2012 Tênis Masculino | 14:01

Baile

Compartilhe: Twitter

Imagino como fica a cabeça das loiras com essa história da Serena Williams. A moça decide se afastar das quadras, investir nas noites de N. York e Los Angeles, achar que vai ser atriz ou desenhista de moda, curtir um namoradinho, ve seu ranking despencar por pura falta de competir e assim as loiras deitam e rolam pelas quadras do mundo.

Até aí tudo certo, até porque esses períodos sabáticos da americana demonstram uma falta de compromisso da moça com o esporte e a profissão – e eu não sou exatamente um fã dessa atitude.

Mas quando ela volta, mesmo que aos poucos, e aos trancos e barrancos, ele uma hora encontra uma maneira de pegar o chicote e aplicar umas doloridas chibatadas nas adversárias, mostrando que mesmo como balzaqueana é uma favorita em qualquer piso e qualquer torneio. Maria levou um baile, 6/1 6/3 nas quartas de final, Azareanka, para não ficar atrás, apanhou pelo mesmo placar na final. Como é que fica a cabecinha delas?

Autor: Tags:

sexta-feira, 4 de novembro de 2011 Curtinhas, Light, Tênis Feminino | 09:49

Panic Room

Compartilhe: Twitter

Tempos atrás Nadal e Murray reclamaram bastante dos procedimentos do pessoal do antidoping. Parece que eles apareciam a qualquer hora exigindo um xixi imediato. Esses dois não reclamaram mais, por isso não sei dizer se aceitaram a realidade ou os caras adotaram outras medidas. Lembro que os belgas Malisse e a Wickmayer também tiveram seus problemas com horários e procedimentos, foram suspensos e liberados, em um incidente que mexeu bastante com a cabeça da tenista que ameaçava ser top 10 em breve a acabou perdendo o caminho.

Quem teve seu probleminha agora foi a Serena Williams. A americana foi acordada na semana passada às 6h da matina por um barulho na sua casa. A moça reagiu se trancando no Quarto do Pânico, que não tem nada a ver com os malucos da TV, e chamou a polícia.

Quando os prestativos chegaram – lá não é como aqui que você chama e pode acontecer qualquer coisa – descobriram na varanda o rapaz com o vasilhame na mão e exigindo o xixi da moça. Não é que o cara desistiu – acertou o pé e lá ficou, com polícia e tudo. À tenista não restou alternativa senão se desculpar aos envolvidos e se trancar novamente, desta vez no banheiro, até apresentar a prova do crime, ou da sua inocência.

Agora, tudo bem, é profissional, é antidoping, mas 6h da manhã é sacanagem.

Autor: Tags:

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última