Publicidade

Posts com a Tag marin cilic

sexta-feira, 2 de agosto de 2013 Sem categoria | 17:15

Bobagens

Compartilhe: Twitter

O pêndulo do circuito vai todo para a América do Norte a partir de 2a feira, quando os cachorroes desembarcam em Montreal, a cidade de sotaque francês do Aberto do Canadá. Imagino que Rafa Nadal tenha um carinho especial pela cidade, onde ganhou seu primeiro Masters1000 em quadra dura, em 2005, batendo Andre Agassi na final, um marco em sua carreira. Após a partida o espanhol repetia: agora sei que posso vencer também na dura – mal sabia ele, e os outros. Até por isso desembarcou por lá com uma semana de antecedência do dia que deve estrear na chave de simples, o que deve acontecer só lá pela quarta feira. Mas antes disso ele terá a oportunidade de treinar bastante com colegas de trabalho e jogar o torneio de duplas para pegar ritmo de jogo.

Quem nao vai a Montreal é Federer, que nunca ganhou por lá – só em Toronto, do lado inglês do evento. Talvez por isso. Os canadenses alternam anualmente o local do evento entre as duas cidades com a WTA. Para variar ele nao deu muitas explicaçoes de sua ausência – especialmente agora que, por conta da idade, nao é obrigado a jogar os Masters1000. Podem ser as costas. Pode ser a raquete. Pode ser que nao está a fins. Pode ser que ele diga a real, pode ser que nao.

Enquanto os cachorroes jogam o ultimo evento no saibro europeu em Kitzbuhl, chamosíssima vila, onde o Monaco e o Granoller fazem a final no sábado, e outro na capital americana, já nas quadras duras, outras notícias, desta vez sobre bobagens de tenistas, ganham as manchetes.

A primeira, sobre a qual tenho lido pouco, é que o croata Marin Cilic foi pego em um antidoping com excesso de glicose. Ele nem vem jogando desde Wimbledon, onde descobriu, porque já sabe que vai dançar. Quer usar este tempo para debitar do tempo que vai ficar no gancho. Pelo que sei é mais um que dançou por comprar produtos em farmácias comuns e acabou ingerindo algo contaminado. A notícia oficial deve aparecer em dias. Acho interessante como os tenistas ainda caem nessas armadilhas. Duvido que alguem vá-se dopar com excesso de glicose, que de qualquer maneira é proibido. Mas o assunto virou tanto uma paranóia como uma incógnita. É uma paranóia viver na corda bamba de ingerir algo proibido sem querer, por descuido próprio ou de quem está por perto. Assim como é uma incógnita o que realmente os tenistas estao tomando que fica aquém do proibido e que de repente passa dos limites, no que chamam de contaminaçao e nao necessariamente um doping proposital – ambos proibidos, só que com puniçoes diferentes. Faz bastante tempo que nenhum tenista top é pego por conta de algo que claramente era ingerido para aumentar a performance pontualmente. Sao sempre coisas em que o tenista vai tomando para ficar “melhor” como um todo.

Uma outra bobagem desta semana é sobre a russa Olga Pushkova, que alguns tarados consideram “hot”. A moça, em um destempero, deu um drive em uma bolinha que acabou acertando em cheio um juiz de linha que foi a nocaute. Pegou no joelho – tem coisas piores. Nao é a primeira nem será a última. Tim Henman, logo ele, foi expulso de Wimbledon por acertar um juiz de linha, logo no início de sua carreira – foi um escândalo e depois disso o inglês ficou pianinho. Fernando Meligeni foi expulso de quadra no Estoril por acertar uma bolada em um espectador. Só para lembrar de dois. Nenhum deles teve intençao, assim como a russa, o que nao impediu a desclassificaçao e a multa. É um segundo de bobeira para a casa cair e a carreira ficar chamuscada.

130801233506-olga-puchkova-single-image-cut

Olga – foi sem querer…

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 5 de setembro de 2012 Tênis Brasileiro, Tênis Masculino | 23:39

Dia cheio

Compartilhe: Twitter

Estava louco para desligar o computador e as coisas despencando no U.S Open.

Mais um brasileiro disputará uma final de Grand Slam. Desta vez é o gentil mineirinho Bruno Soares que amanhã joga a final das mistas com a russa Ekaterina Makarova, que vem provando ser excelente parceira. Eles enfrentam os checos Cermak e Hradecka, com direito a televisionamento para o Brasil. O jogo acontece na Quadra Arthur Ashe a partir de 13h. Nas duplas mistas, outros sete brasileiros já estiveram em finais de GS: Maria Esther, Thomaz Koch, ambos campeões. Claudia Monteiro, Cássio Motta, Claudia Monteiro, Jaime Oncins e Marcelo Melo foram finalistas.

A última partida de Andy Roddick foi a grande notícia do dia no torneio – está em 2º plano aqui porque vamos priorizar as coisas. O americano nunca me emocionou como tenista, apesar de uma bela carreira e achar interessante como ele se comunicava. Sempre foi excelente sacador, mas só isso não explica a carreira – era um vencedor e sabia tirar leite de pedra com o que tinha. Após vencer seu primeiro e único Grand Slam, o tênis de Roddick foi bom o bastante para se manter entre os 10 melhores por uma década, mas não bom o bastante para lhe dar um 2º Grand Slam. O mais perto que chegou foi na final de Wimbledon, quando Roger Federer “achou” o jogo. Andy vai sonhar o resto da vida com um voleio alto de revés que errou para abrir 2×0 em sets e, acredito, assegurar a vitória.

Quem não perde mais o sono, espero, é o Bob Brett, técnico do Marin Cilic. Com certeza o rapaz, que treinou Gomez, Becker e Ivanesevic, um dia sonhou que o pupilo seria #1 do mundo. Fundamentos técnicos com certeza o croata tem. Mas sempre lhe faltou aquele algo a mais que os grandes campeões tem e lhe permitem ganhar os break points, contra e a favor, jogos perdidos e jogos ganhos, em uma proporção maior do que o inverso – especialmente nos grandes jogos. Hoje Cilic tinha o malamurray pelas narinas, com um set acima e 5×1. Sacou duas vezes para fechar e não conseguiu. Perdeu em quatro sets, sendo que nos dois últimos fez 2 games – a história da carreira do rapaz.

Isso tudo sem mencionar o fato que Roger Federer caminha a passos largos de ser eliminado ainda nas quartas de final pelo checo Berdich. Pelo menos agora está com 0x2 e break abaixo no 3o set, sem aparentar como vai virar o jogo. A maior esperança, cada vez mais tênue, é o Berdich, que até agora jogou muito, dar uma de Berdich.

Roddick – um lutador e carreira vitoriosa.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 29 de setembro de 2011 Light, Porque o Tênis., Tênis Masculino | 11:56

Reflexo

Compartilhe: Twitter

O video abaixo é de um daqueles golpes mágicos que acontecem nas partidas de duplas. Na verdade uma dupla de golpes. A dupla é um jogo de reflexos, com uma dinâmica diferente das simples. Uma coletânea de ângulos buscados em uma avenida de alta velocidade. Um mistério a falta de interesse das pessoas quando comparado com o fascínio pelas simples. Uma arte em extinção mantida por especialistas e, com menor frequência do que eu gostaria, curtida pelos singlistas. O vídeo ressalta o que a destreza de reflexos conquistados por treinos direcionados pode oferecer ao espectador (des)interessado.

Autor: Tags: , ,

domingo, 13 de março de 2011 Tênis Masculino | 01:07

O leitor em Indian Wells

Compartilhe: Twitter
Como já aconteceu em outras ocasiões, publico o relato de um leitor presente a um evento – Indian Wells.
No ano passado, Gabriel Dias já nos enviou fotos e um texto de sua visita ao evento. Abaixo seu texto e fotos.
 
Saudacoes galerinha,
 
Bom, meu nome e Gabriel e escrevi ano passado para o Blog do Cleto sobre minha experiencia aqui em Indian Wells. E vou compartilhar com voces fanaticos por tenis, assim como eu, minhas experiencias aqui em Indian Wells esse ano.
 
Eu moro a uma hora e 45 minutos do complexo de indian wells pois estudo e jogo tenis numa universidade aqui na California. Vai fazer 2 anos que moro nos Estados Unidos e tenho vivido experiencias incriveis com o tenis e com outras coisas tambem.
 
Ontem, sexta feira, vim aqui pra Indian Wells. Testemunhei a queda dos Brasileiros na dupla para os Murray’s. Torci muito, mas os ingleses foram bem no match tiebreak. Vi bastante brasileiro no jogo tambem. Vi tambem o ultimo jogo da noite, James Blake tirando um australiano gigante. Vi o Isner e Querrey ganhando do Zimonic e Llodra no match tiebrake, e tambem o Verdasco treinando nas quadras junto com o tipsarevic.
 
Nao tem coisa melhor que as quadras de treino, porque vc pode ver os jogadores de pertinho, com quase ninguem vendo, os jogadores discontraidos, fazendo brincadeirinhas e tudo mais. Encontrei com o Larri no players lounge onde so pessoas com credencias tem acesso. E eu como um mero estudante nao poderia ficar de fora. Na minha faculdade aqui nos estados unidos o nosso jogador que joga de numero 1 pela nossa faculdade conhece a Radawanska de tempos em que jogavam torneios juniores pela Europa. E eu o pedi para que ele a pedisse que me colocasse na sua lista de convidados para que eu pudesse entrar no players lounge, nas quadras principais sem pagar. Ate porque estudante é tudo quebrado mesmo, entao ficaria dificil vivenciar esse torneio do jeito que eu estou o vivenciando no momento.
Ele a pediu e ela me colocou na lista de convidados dela e ganhei a credencial onde tenho acesso a todos os lugares do torneio, exceto onde os jogadores fazem entrevistas e ao vestiario dos jogadores. Do resto tenho acesso a todas as dependencias do complexo de Indian Wells. E a partir de agora, sou Radawanska desde de criancinha.
 
Estou agora no players lounge onde tem inumeros computadores, com jogos de fliperama, sinuca, tennis de mesa, sofas, comida, frutas. E é claro, varios jogadores. Tirei foto com o Larri ontem, muito simpatico e tambem gente finissima, conversamos rapidamente e desejei boa sorte ao Belucci. Tirei foto com o Marin Cilic ontem a noite, o cara é sensacional. Pedi para que o outro brasileiro amigo meu tirasse a foto pra mim, pois ele tambem tem uma credencial pelo mesmo motivo e quando fui pedi para o Cilic tirar uma foto comigo, eu cheguei e perguntei se ele se importava tirar foto comigo, dai ele nao falou nada me abracou pra tirar a foto e falou que Sim, que se importava. Daí damos risadas e quando foi a hora de tirar a foto a maquina nao saiu o flash, dai pensei, que azar o meu, o cara aqui e a maquina nao quer pegar, dai coloquei o flash rapidao e dai fomos tirar a foto de novo e derrepente, a camera estava com a memoria cheia, nao acreditei. Dai fiquei com vergonha de ficar enchendo muito o saco dele e falei que tiraria a foto com ele depois pois vinha hoje tambem, mas dai ele simpaticamente falou que eu tinha muito azar e tambem falou que nao, que eu ia tirar a foto agora, dai falou, apaga ai as fotos que vc tirou na Ivanovic que eu sei e vamo tirar essa foto. Dai apaguei a primeira foto que eu vi e finalmente tirei a foto com ele. Dai quando tiramos a foto ele falou rindo, pow cara finalmente essa foto saiu. Desejei sorte a ele e ele falou valeu e falou que era pra eu estar preparado da proxima vez. Agradeci e apaguei umas fotos que nao tinham nada a ve para que aquilo nao se repetisse.
 
Encontrei nos corredores tambem o Carlos Bernades, conversei com ele um pouquinho e ele falou que estava indo embora amanha pois estava cansado porque nao descansava desde o Australia open. Gente boissima.
 
Mais a noite, fui jantar eu e o Victor. Jantamos, claro, onde todos os jogadores fazem suas refeicoes e quem estava do nosso lado jogando baralho com o Wawrinka e mais 2 caras que acho serem os coaches ou amigos. Nada mais nada menos que ele, o melhor da historia. Roger Federer. Eu nao conseguia comer, nem fazer nada, estava meio que sem reacao. Pois nao acreditava estar na mesa ao lado da do Federer. Ele estava tranquilao jogando baralho com o Wawrinka. Estavam rindo e tudo mais. Bem descontraidos. Nao tive coragem de pedir pra tirar foto AINDA pois ele estava com os amigos la num momento que eu achei nao ser apropriado. E como eu viria hj, sabado e domingo e depois pensei comigo mesmo que teria outras oportunidades.
 
Depois saimos e fomos pintar nossos corpos com a bandeira da Suica para torcer para o Federer e Wawrinka que iriam jogar duplas depois. Foi super 10, gritamos muito e viramos meio que celebridades, todos queriam tirar foto com a gente pois estavamos todos pintados. No final do jogo, o federer e wawrinka agradeceu agente olhando para a gente la em cimao pois nem todos tinham credenciais e tambem estavmos em 8, todos do time de tenis. Ele autografou as bolinhas a advinha onde ele jogou 2 das 4 bolinhas que eles autografaram, jogou em nossa direcao as duas, mas nao conseguimos pegar nenhuma delas.
 
Vi na sexta feira a Aninha Ivanovic ganhar em 3 sets na quadra central, de pertinho. Ela e realmente uma belezura. Como a moca joga bem, uma coisa de louco seu jogo de pernas, uma movimentacao de se admirar e aplaudir. E quem esta la na primeira fileira tambem – O Djokovic. Pelo jeito estao bem amigos.  Enfim, ainda bem que ela ganhou, porque minha meta e tirar uma foto com ela com o Nadal e Federer.
 
Hoje tem belucci nas duplas, vamo lá torcer na primeira fileira. Hoje tambem assistimos a Wozniack jogar com a Sloane Stephens, uma americana de 17 anos que por sinal foi com 14 anos jogar future no brasil, ela e mais 3 americanas. Eu lembro disso pois estava no Centro de treinamento Kirmayr em serra negra onde o torneio acontecia, tirei foto com ela quando ela tinha 14 anos, e agora ela com 17 anos, a vi na quadra central de indian wells jogando com a Wozniack agora a pouco. Uma sensacao legal. Hoje tambem vi o Del Potro ganhar do Ljubicic na quadra central nas primeiras fileiras. Os caras jogam muito e sao muito mais fortes ao vivo que pela tv.
 
Nao vou escrever mais pois o Nadal esta jogando e vou la ve-lo dar seus spins alto na esquerda do adversario.
 
Bom, o dia esta so comecando, sessao noturna esta para comecar.
 
Abracos a voces que ficam, pois eu, vou ver o Nadal.

 

Autor: Tags: , , , ,

sábado, 12 de março de 2011 Curtinhas, Light, Tênis Masculino | 10:44

Até o fim.

Compartilhe: Twitter

Como amanheceu um Sábado perigoso para o tênis, o céu não me parece promissor, pensei em colocar um ou dois videos só para o pessoal ter algo a mais a fazer, além de ler um post que ainda pretendo escrever.

O video abaixo mostra o “mano Monf” fazendo aquilo que mais gosta na vida. Correr atrás de uma bolinha. Enquanto boa parte dos tenistas odeia correr de um lado para o outr da quadra, o francês tira disso um prazer que beira o Nirvana.
Especialmente na frente de seu próprio público.

O adversário é o croata Cilic, um tenista que tinha tudo para ser um dos mais perigosos do mundo (ainda mais do que é) mas vive perdendo para si próprio. O ponto mostrado é um exemplo do fato. No fim das contas, Cilic simplesmente erra uma bola fácil pela frustração de ver o adversário fazer algo que ele elege não fazer – lutar até o fim.

A partida, realizada em Paris Bercy, em 1999, terminou com a vitória de Monfils, que virou o jogo.

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 10 de setembro de 2009 Light, Tênis Masculino | 14:34

Cumprimento

Compartilhe: Twitter

Onde há fumaça quase sempre há fogo.

Eu já declarei, mais de uma vez, minha admiração pelo tênis de Andy Murray. Mas o rapaz parece sofrer com a rejeição de uma parte da torcida pelo seu jeito de ser. Sempre relevei isso, até porque simpatia às vezes esconde um mau-caratismo maior do que o mau humor.

Mas não me passou despercebido como ele cumprimentou Marin Cilic após a derrota. Como escreveu outro britânico, e como está à entrada da Quadra Central de Wimbledon;  If you can meet with Triumph and Disaster and treat those two impostors just the same..

Murray e Cilic – olho no olho?

Autor: Tags: ,

quarta-feira, 9 de setembro de 2009 Tênis Masculino | 13:48

Boas rodadas

Compartilhe: Twitter

Se eu fosse obrigado a escolher uns poucos dias para acompanhar um Grand Slam minha escolha seria pelas rodadas das oitavas e as quartas de final do torneio. É aí que se concentra a melhor relação de custo beneficio do evento.

Essas duas rodadas oferecem os melhores tenistas do evento após a depuração da primeira semana do torneio. Semifinal é muito legal, mas as opções já afinaram. A final nem sempre tem a mesma qualidade das rodadas anteriores.

Marin Cilic jogou em um padrão impressionante. Conseguiu manter a concentração e o padrão enquanto Murray ofereceu mais resistência – no 1º set – e mesmo quando o escocês abandonou a luta, a partir do 2º set. É incrível como um atleta com sua altura, 1.98m, consegue se movimentar daquela maneira. Especialmente para fugir da esquerda e agredir de direita. Parece um caranguejo correndo lateralmente, que é o estilo Nadal. Uma belíssima vitória orquestrada pelo técnico Bob Brett, um velho amigo de longa data.

O que o Fernando Gonzalez e o Jo Tsonga deram nas bolinhas não é real. Os dois batem muito forte sem perder acuidade. É outro tênis, muito distinto daquele jogado menos de 10 anos atrás. Olhem o vídeo da final entre Gustavo Kuerten x Sergi Brugera, parece em câmera lenta. Ou as dificuldades atuais dos ex-números 1 do mundo Leyton Hewitt e Juan C. Ferrero.

A partida de Rafael Nadal contra Gael Monfils foi o que o espanhol precisava para “voltar” ao circuito. Durante dois sets os dois jogaram um tênis de outro planeta, com correrias e pancadarias que poucos podem ou se arriscam realizar. Monfils tentou bater Nadal no jogo deste, com longas trocas de bolas, pouco se importando com táticas e apostando na correria. O garotão agüentou dois sets. Nadal, que tem a mesma idade, mas é feito de outro material, saiu da quadra inteiro.

Hoje tem mais e amanhã também.

Cilic – alto, rápido, forte e tranquilo.

Autor: Tags: , , ,