Publicidade

Posts com a Tag amelie mauresmo

domingo, 8 de junho de 2014 Light, Tênis Feminino, Tênis Masculino | 10:57

No vestiário nao

Compartilhe: Twitter

Andy Murray sempre foi fora da caixa. Enquanto outros contratam ex grandes jogadores, ele contrata uma ex grande jogadorA – a francesa Amelie Mauresmo. As reaçoes de seus companheiros/adversários será de, no mínimo espanto.

Desde que Andrei Chesnokov apareceu no circuito com Tatiana Naumko que eu nao me lembro de outro tenista ter uma técnica. A nao ser que vocês contem com o supermala Jeff Tarango e sua mae.

Os rumores já existiam, já que a moça andava assistindo os jogos dele em Paris.

Uma das prováveis razoes da escolha é ele ser uma tarada por preparfo físico, assim como Andy. Em 2011 ela correu a maratona de New York em 3.40h.

Mas, talvez, a principal razao é ela ser muito bem considerada no circuito pelo seu jeito, seu posicionamento e sua cultura.

Ela já teve uma pequena experiencia como técnica, ajudando Marion Bartoli vencer seu único Grand Slam em Wimbledon no ano passado.

Amelie adora um bom vinho, é um amor de pessoa e tem uma cultura bem acima da média das tenistas profissionais.

Mesmo sendo lésbica assumida, duvido que Amelie vá conseguir ter conversas de vestiário com seu pupilo.

 

Autor: Tags: ,

terça-feira, 10 de abril de 2012 Light, Tênis Feminino, Tênis Masculino | 12:19

Amelie e Zazá

Compartilhe: Twitter

A atual #1 do mundo, Victoria Azarenka está trabalhando com a tenista francesa Amelie Mauresmo. Do que se sabe até agora, o técnico de Victoria, Sam Sumik, continua trabalhando com a bielorussa.

Talvez a contratação tenha a ver com a temporada de saibro européia que começa esta semana e termina em Roland Garros. Apesar de francesa, Amelie sempre teve mais sucesso em outros pisos e nunca se deu bem em casa, sempre amarelando quando jogando na frente de seu público.

Não se sabe as razões da atual #1, mas a contratação foi uma exigência que ela levou a seu técnico e que este concordou na hora, até porque não deve ter outro jeito. O time está reunido em Monte Carlo e vem treinando no MCCC, local do torneio da cidade e onde, este fim de semana, a França foi derrotada pelos EUA.

Até perder em Miami para a Marion Bartoli, Azarenka estava invicta na temporada, o que não a impediu de pensar em novas maneiras de crescer em quadra. A foto abaixa, tirada no clube de Monte Carlo, tem o interessante detalhe do uso elástico para treinamento físico em quadra, algo semelhante ao de Bartoli, cuja foto postei na página do Blog no Facebook. Só que Victória é amarrada na cintura e um assistente segura o elástico.

A prática com elástico não é nenhuma novidade, mas não deixa de ser interessante comparar o trabalho das duas tenistas, o que, talvez, evidencie, o quanto o papai Bartoli é um personagem, vamos dizer, estranho, já que o esquema de Marion é bem mais intrusivo, complicado e, estranho.

Quando fiquei sabendo de Mauresmo, por um instante fiquei preocupado com o uniforme que Azarenka vem usando esta temporada – o shortinho – até lembrar que ela não esconde de ninguem que namora o também tenista, Sergei Bubka Jr, filho do ubber-campeão de salto com vara, e com quem ela vive em Monte Carlo.

Amelie solta a bola para Zazá, sob os olhos de alguém que não é Sam.

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 Tênis Feminino | 15:18

Pernas finas, queixo grande, au revoir.

Compartilhe: Twitter

Mais uma que se vai e esta eu duvido que faça um retorno inesperado. Até porque Amelie Mauresmo é uma balzaquiana e não uma jovem sem idéia do que fazer de sua vida.

Lembro de Amelie juvenil desfilando seu talento, categoria, rosto feminino e pernas delgadas pelos torneios Grand Slam. Aos poucos seu corpo começou a mudar, o queixo tornou-se quadrado, o que sempre me causou dúvidas, as costas enormes, as pernas fortes – só o derrière que não cresceu proporcionalmente, mercy.

Amelie passou a carreira nos assegurando de seu talento e habilidade; sua esquerda é poesia, e seus voleios como os de nenhuma outra mulher. Marcou também, especialmente em seu país – a França – pela incapacidade de controlar seu emocional em torneios grandes e momentos importantes. Mais do que nada em Roland Garros, onde nunca conseguiu um resultado com um mínimo impacto sequer. Sempre tremeu.

Foi uma das poucas que admitiu publicamente sua opção sexual pelo homossexualismo, quel dommage, enquanto outras faziam cara de paisagem e rosnavam quando perguntadas ou mesmo iam lá e casavam para afastar questionamentos. Amelie levava sua namorada aos eventos.

Pelas entrevistas percebia-se que tinha um nível de informação e cultura bem acima das outras, que mal conseguem se expressar melhor do que um jogador de futebol brasileiro padrão.

Mauresmo teve seu grande momento em 2006 ao vencer o Aberto da Austrália e Wimbledon, o que ajudou a afastar a pecha de sempre de amarelona. Eu, particularmente, fiquei feliz com esse momento, pois sempre achei Amelie uma das tenistas mais interessantes, educadas, inteligentes e transparentes do circuito, além da habilidade, a gama de golpes e apesar daquele queixo quadrado. Ela nunca transpareceu a frescurada que boa parte das tops de hoje insistem em apresentar.

A francesa já não vinha jogando com frequência – não competia desde o U.S. Open – e confessa que não tinha mais motivação para treinar. Para ela a decisão de parar, mesmo que triste, tornou-se evidente nos últimos meses. Pelo talento, personalidade, dentro e fora da quadra, é outra que vai fazer falta. Au revoir.

Abaixo fotos de sua carreira, desde os 16 anos, crescendo, crescendo, com o troféu de Wimbledon e com uma figurinha carimbada.

b_12_mauresmo_119_reuters_k_lamarquemauresmo_1994_cadettemauresmo_1998

mauresmo_1999

87978003MT182_The_Championsamelie-mauresmo

Autor: Tags: