Publicidade

Arquivo da Categoria Light

sexta-feira, 5 de outubro de 2012 Light | 00:31

Tênis para saibro/dura

Compartilhe: Twitter

Um Post sobre o comentário da leitora Maysa sobre os sapatos-tênis feitos para uso em quadras de saibro, serem extremamente danosos ao joelho quando usados em quadras duras. Huuummm.

A diferença básica entre um e o outro está no solado; no desenho do solado. Os tênis para quadras de saibro têm desenhos para evitar o escorregar em demasia, agarrando na terra, enquanto que os para quadras duras propiciam o deslizar controlado sem o escorregar involuntário.

Quanto à proteção para o corpo, é mais para o pé, calcanhar e um pouco da perna, nem tanto para o joelho, depende mais da qualidade do produto, do material utilizado e a tecnologia disponibilizada.

Para amenizar o impacto vale mais a tecnologia do acolchoado do tênis, independente para qual piso. O uso de palmilhas também ajuda. É óbvio que se o tênis agarra demais o impacto é maior. Uma das coisas que pode ir na direção do mencionado pela Maysa é que os tênis para saibro tendem a ser um pouco mais leve do que os para as duras, até porque estes precisam ser “encorpados” – quem conhece o Barricade da Adidas sabe o que estou falando. Mas essa característica é mais por conta do desgaste do tênis do que por conta das juntas. Eu pessoalmente prefiro um pouco mais leve, como os Asics e outros, apesar de usar o Barricade também pela firmeza. Um que eu adorava era o Lotto antigos. Mas faz anos que não os vejo nem uso.

De cima para baixo, Adidas Barricade, Asics Gel Dedicate, Lotto Raptor

Autor: Tags:

quinta-feira, 4 de outubro de 2012 Curtinhas, Light | 11:55

Bolinho estragado

Compartilhe: Twitter

Os rumores de ameaças à vida de Roger Federer em Xangai parecem ser mais uma bobagem decorrente de uma idiotice na internet. Começou quando em um fórum de tênis um dos participantes escreveu que iria matar o suíço durante o evento que começa no Domingo.

A mim me parece mais um fã do Nadal de mau humor com a ausência do ídolo, e sem a devida sensibilidade pelo talento do  Mestre ou, na pior das hipóteses, um chinês que comeu um bolinha primavera estragado e ficou danado com alguma provocação. Os frequentadores do fórum entraram em contato com os organizadores do torneio e o efeito dominó tomou conta. Por conta disso Roger estará cercado de seguranças na sua estadia chinesa. Mas duvido, e espero, que não passe disso.

Autor: Tags:

terça-feira, 4 de setembro de 2012 Light, Olimpíadas | 23:41

Inspiração

Compartilhe: Twitter

Como não tivemos jogos à noite em New York, por conta das chuvas e a inexistencia de uma quadra coberta no local, coloco um video sobre tênis de mesa – de uma partida recém disputada no Paralimpicos em Londres – que necessariamente é jogado indoors. Talvez até sirva de inspiração para alguns.

Autor: Tags:

terça-feira, 21 de agosto de 2012 Light, Tênis Feminino | 10:20

Sugarpova

Compartilhe: Twitter

Agora todo mundo vai poder comer Sugarpova. Pelo menos os americanos. A tenista lançou esta semana a sua linha de gostosuras e pretende com isso começar a alavancar sua carreira como empresária pós tênis.

A russa é a melhor das marqueteiras entre as tenistas, quiçá entre qualquer atleta, sendo a mais bem paga de todas, via patrocinios. A moça é bem falante, tem bom gosto, ao contrário de boa parte das tenistas que tem um pezinho na cafonice, sabe o que quer e não tem a menos cerimônia em correr atrás.

Desta vez ela não foi contratada para endossar. Colocou grana sua e veio com a ideia do que queria e procurou as pessoas para tornar possível. Ela decidiu que sua primeira aventura como entrepeneur seria ter a sua própria linha de balas finas, coisas estilo jujubas etc. Tudo nos trinques, da embalagem ao produto. Pelo menos as embalagens são interessantes, os doces, que são feitos na Espanha, ainda vou ter que experimentar. A moça jura que adora candies desde pequenina e que a decisão foi uma consequência. Sei lá se é verdade, até porque ela diria, como sempre, o que acreditasse ser a melhor estratégia de marketing, e também porque pouco importa.

O lançamento oficial foi na loja Henri Bedel em New York, que as leitoras mais patricinhas, e os maridões que preferem não ter discussões nas suas viagens, com certeza conhecem. É “a loja” de acessórias da cidade, localizada na 5ª Avenida, rua favorita das fashion girls como Maria.

Os tenistas aproveitam a semana anterior ao US Open para fazer as ações de marketing que seus patrocinadores demandam. É uma semana de descanso, treinos e marketing.

Fiquei imaginando se Maria vai distribuir as gostosuras nos vestiários e no lounge dos tenistas durante o U.S. Open. Seria, vamos dizer, uma atitude simpática com colegas, já que todo mundo gosta de um docinho. São 11 produtos distintos, inclusive uma balinha que reproduz exatamente uma bala com o formato de uma bola de tênis. Não vi nenhuma bala com o formato da tenista, o que poderia ser mais um atrativo para os gulosos.

Autor: Tags: ,

domingo, 15 de julho de 2012 História, Light, Tênis Brasileiro | 00:43

No Hall of Fame

Compartilhe: Twitter

Enquanto Thomaz Bellucci fazia seus esforços na Alemanha para chegar a mais uma final de um ATP Tour, esforços que infelizmente se provaram infrutíferos, ao ser derrotado na semifinal pelo sérvio Tipsarevic no 3º set, Gustavo Kuerten, apesar da quase década longe das conquistas, foi receber os louros da imortalidade em um país que sabe respeitar e homenagear as glórias do passado.

Homenageado pelo Hall of Fame do Tênis, instituição que segue a ampla tradição dos americanos de homenagearam os melhores, de roqueiros a atletas, Kuerten só ouviu falar do local e da homenagem quando foi sondado sobre esta. Como nunca quis saber de colocar os pés no tradicional evento de Newport – em um maravilhoso e tradicional clube, e local da instituição, na costa leste americana, por ser um torneio menor e jogado sobre a grama – para ele bastava ter que jogar Wimbledon sobre esse piso – Gustavo desconhecia o peso da homenagem, mas foi facilmente convencido e seduzido quando informado da tradição envolvida.

Aliás, nada mais justo, já que foi numero 1 do mundo, com três títulos de Grand Slam, o que pode parecer pouco em dias em que os melhores ganham muitos, mas merecido também pela personalidade e carisma. A homenagem também faz, de alguma forma, reparos a maneira como o público americano tratava Kuerten durante sua carreira, com uma certa ausência de respeito pelo o que ele conquistou.

Kuerten aproveitou a homenagem para bater umas bolinhas na grama de Newport, onde neste Domingo Isner e Hewitt fazem a final do ATP Tour local.

Veja mais fotos na página do Blog no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDoPauloCletoTenisnet

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 12 de julho de 2012 Light, Tênis Feminino | 12:34

Peladonas

Compartilhe: Twitter

Tem gosto para tudo, mas o pessoal da revista ESPN americana tem uma quedinha pelo extremo. Desde 2009 eles publicam anualmente uma edição chamada Body onde publicam fotos de atletas profissionais nus – peladinhos. Lógico que uns mais interessantes do que outros. Estou usando o masculino, porque não vou escrever “atletos” só para imitar e confrontar nossa Presidenta, mas, na verdade, esses eu passou rapidinho, antes de algum incomodo maior me afligir, e me concentro nos corpos femininos. Mas as edições são imperdíveis, em vendem como água, porque as fotos, e os corpos, na maior parte das vezes, são espetaculares.

De volta ao radicalismo da revista. Em 2009 eles publicaram fotos da Serena, que ficou mais do que feliz em mostrar toda a sua opulência. Em 2010 eles convidaram a cadeirante Esther Verger, em 2011 Vera Zvonareva, que era #2 do mundo e sempre me pareceu bem recatada (adorei o fato de ela não ter dado aquela encolhida na barriga como tantas), e que de lá para cá, infelizmente, não ganhou mais nem par ou impar, e agora convidaram a Hantuchova, a anoréxica das quadras que acredita ser a coisa mais incrível que já bateu em uma bolinha.

Salta aos olhos o fato de que, ao que tudo indica, nenhum tenista aceitou posar peladão para a revista, ou tem lá na editoria alguém que não quer saber de um pelado com a raquete na mão. Vale lembrar que são vários os peladões dos outros esportes. Alguns tenistas até já tiraram a roupa, como Tsonga, Robredo, Feliciano e Verdasco, mas sempre por razões beneficientes. Quem será o primeiro a ser convidado pela ESPN, e aceitar, entre os machos alfas tenistas?

Autor: Tags: ,

segunda-feira, 28 de maio de 2012 Curtinhas, Light, Tênis Brasileiro, Tênis Feminino, Tênis Masculino | 14:51

14.50h

Compartilhe: Twitter

O mais curioso da derrota de Thomaz Bellucci para Victor Troicki foi a última bola após 3.50hs. Uma devolução do sérvio que iria para o corredor, bate no pau de rede, sobe, bate na fita e chora para o lado do brasileiro. É verdade que se não fosse ali o sérvio iria ganhar mais à frente, já que o placar mostrava 5×1.

Não vou escrever sobre a derrota do Bellucci porque eu vou bater uma bolinha, o que será mais producente. Mas o rapaz jogou bem o 3º, abriu 2×1 em sets, e aí deu aquela viajada Padrão Belo. Foi se aborrecer com a juíza, no que pode ter sido um erro dela, em Paris não há Desafios, e arrumou uma razão para perder o jogo por 4/6 6/3 5/7 6/3 6/2.

Rogerinho teve menos chances com o gigante Isner. Não conseguiu quebrar o serviço do adversário e perdeu por 6/3 6/4 6/4.

Giraldo bateu Falla no clássico colombiano em 4 sets.

O Gulbis perdeu para o Kukushkin. Pensei em contar uma novidade.

Tomic bateu Davydenko em 3 sets. O novo e o velho.

A Cibulkova é ótima de assistir. Deste tamanhozinho, um coração de leoa e jatos nos pés.

A Sloane Stephens, negra americana, surpreendeu a Makarova e a Penetta passou para a segunda rodada.

O Haas entra em quadra para enfrentar o Volandri, mas eu, já disse, vou bater umas bolinhas. O Harrisson sacou para abrir 2×0 em sets e agora está 1×2 abaixo.

E para quem eu tiro o chapéu?! Para o Arnaud Clement, 34 anos!, que venceu a partida mais longa de RG, em 2004 sobre o Santoro, bateu o mala Bogomolov também na bacia das almas. O russo abandonou quando perdia o 5º set por 4×5 em um momento raro no tênis. Sentia cãibras, errou o 1º saque, sentiu mais cãibras, se alongou, mas acabou desistindo – nocaute! Clement, um exemplo para muita gente que não tem pernas para jogar 5 sets!

A reação do Bellucci após o match point.

A carinha do Troicki após o match point.

Abaixo o russo/americano sofrendo na rede antes abandonar. Acima, Clement festeja a vitória.

Autor: Tags:

Curtinhas, Light, Tênis Feminino, Tênis Masculino | 11:38

12.27h

Compartilhe: Twitter

Nem vai ser fácil para o Djoko como diziam, nem será curto como poderia se esperar para Bellucci. Djoko teve que usar do seu estatus para vencer o 1o set no TB. Bellucci administrou bem o 1o set, mas bobeou logo no início do 2o e acabou o perdendo – e agora foi para o 3o, mas vai longe.

Nalbandian perdeu para o hungaro Ungur e 4 sets. O argentino está tentando, do jeito dele, uma sobrevida. Sei não. Vai comer uns churros lá na Mouffetard para tirar o gosto amargo da derrota precoce.

Primeiro “jogão” do torneio. O sacador Kevin Anderson bate o portuga Rui Machado 11/9 no 5o set.

Outro decadent sans elegance, Lleyton Hewitt, também está fora. Ganhou um convite e perdeu para Kavicic (quem?) em 4 sets.

Thomaz encontrou forças para virar o 3o set que perdia por 2/5. O Troicki adotou a tática “maos esperar para ver o que vai dar” e descobriu do pior jeito – mais um. No fim do set o sérvio arrepiou a raquete – multa nele.

Ahh – o Djoko ganhou em 3 setinhos; 7/6 6/3 6/1. Depois do 1o set foi que nem quiabo.

Autor: Tags: ,

quarta-feira, 16 de maio de 2012 História, Light, Tênis Feminino, Tênis Masculino | 12:36

Cidade Eterna

Compartilhe: Twitter

O Torneio de Roma sempre teve um bônus para seus participantes – a Cidade Eterna. Aqueles que já tiveram a oportunidade de passar uns dias passeando pela cidade tem uma dimensão do que escrevo. Os que não tiveram deveriam realizar um esforço em fazê-lo.

No fim da semana passada, um conhecido me ligou perguntando sobre ingressos para o torneio, já que iria a Roma a trabalho e não queria perder a oportunidade de ver um bom tênis. Muito tarde para comprar pelo site, eu disse que a melhor aposta seria, por conforto, pedir ao concierge de seu hotel. Poderia tentar algo no local, tanto na bilheteria, mais barato e mais difícil de encontrar, e nas mãos dos inevitáveis cambistas. A velha estória de sempre.

Além dos passeios, infindáveis, e a ótima comida, Roma oferece a história, algo que encanta, ou deveria encantar, os brasileiros, tanto pela falta de antiguidade do nosso país, como da ausência de manutenção de história do país. Especialmente no que diz respeito à arquitetura. Aqui se destrói com voracidade construções de menos de um século, lá se luta, e se consegue, para preservar construções milenares que caracterizam a cidade.

Além disso, Maio é uma época linda na Europa como um todo, muito semelhante ao nosso Maio de céu azul, sol e um frio gostoso que aparece no fim do dia, aumentando o apetite por uma boa comida regada a um bem escolhido Chianti.

Os jogadores reconhecem essas qualidades e tiram vantagem delas, dentro de suas possibilidades. Hoje em dia até mais do que antes, já que agora bem menos singlistas jogam duplas e vice versa. As duplas obrigam o singlista passar mais tempo no clube. Agora, mesmo ainda competindo, o atleta consegue escapar para umas compras e, especialmente, para uma bela refeição. Aqueles que perdem prematuramente não tem aquela ansiedade em abandonar uma cidade como Roma.

O turismo per si é mais raro – nem todos têm a curiosidade. Além disso, em Roma, o trajeto do hotel-clube-restaurante já leva o tenista, sempre levado por motoristas, por tantas belezas que ele já sente que fez seu turismo. O evento também realiza, quase que diariamente, suas festas e assim o tenista é também “arrastado” para conhecer um pouco da vida noturna da cidade. É bom lembrar que a maioria deles frequenta a cidade desde os tempos de juvenis e já fizeram suas incursões pelas escadarias da Piazza de Spagna e vizinhança.

As compras italianas geralmente se resumem a roupas e sapatos lá pelos lados da Via Condotti. Duvido que muitos se aventurem às maravilhas da Via dei Coronari, vizinha à esplendida Piazza Navona, para conhecer as lojas de antiguidade, a não ser que arrastados por mulheres com um pouco mais de informação do que a de as melhores bolsas a serem compradas – o que também é raro.

A comida é a massa – muita pasta. Quando tenista senta à mesa pra comer, podem estar certos que a refeição será longa e com muito carboidrato. Para isso não faltam opções para todos os bolsos, providos pelos prêmios de diferentes rodadas, das trattorias em Trastevere aos restaurantes de Testaccio.

O turismo primário e inevitável é o Colosseo, até porque deve mexer com as emoções de alguém habituado a se apresentar à frente de milhares de torcedores. Fica para cada um dos leitores o que deve passar pela mente dos atletas ao adentrar um lugar onde a derrota era penalizada com a morte – isso é o que se pode chamar de pressão. Tudo isso sem falar do Foro Itálico, o diferenciado local do torneio – mas isso é outra história.

Curta a página do Blog do Paulo Cleto no link: https://www.facebook.com/BlogDoPauloCletoTenisnet

Federer passeando em Roma, em um double decker, com o Colosseum atrás.

Autor: Tags:

terça-feira, 15 de maio de 2012 Curtinhas, Light, Tênis Feminino, Tênis Masculino | 01:21

Weenies

Compartilhe: Twitter

Já disse mais de uma vez que a Serena Williams é uma falastrona. Os exemplos são inúmeros. A moça fala o que vem à cabeça – que pode ser fato ou simplesmente o que ela acha. Geralmente suas afirmações que denigrem alguém são acompanhadas por algum auto-elogio. Mete o pau para fazer o contraponto a seu favor.

Desta vez, falou bem da atitude das mulheres perante a quadra azul de Madrid, no que concordo em gênero e grau, e aproveitou para dar uma cutucada nos homens, mais especificamente em Nadal e Djokovic, que reclamaram horrores sobre a quadra e nada fizeram no torneio.

Serena, que não gostou da quadra e assim falou antes do evento, foi lá e ganhou o campeonato. Logo depois de vencer disse: “Mulheres são mais fortes do que os homens. Por isso temos bebes. Nós, ladies, não reclamamos, nós simplesmente fazemos o nosso melhor. Nós da WTA somos as estrelas. Nós não ficamos por aí sendo uns “weenies”. Essa ultima palavra, deixei a expressão original em inglês, que pode ser traduzida por alguém que choramingue, um fracote. Como está falando sobre o #1 e #2 do mundo, alguma repercussão deve ter.

Ainda não vi alguma resposta por parte dos homens, nem sei se alguém vai responder, pelo menos oficialmente – a aguardar. Não é oficial, mas parece que Rafa e Novak já conversaram a respeito.

Curta a página do Blog no Facebook: https://www.facebook.com/BlogDoPauloCletoTenisnet

Rafa e Novak discutindo sobre serem weenies??

Autor: Tags: , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. Última