Publicidade

quarta-feira, 16 de março de 2016 Tênis Feminino, Tênis Masculino | 16:33

Me desliga

Compartilhe: Twitter

Para quem vive no Brasil de hoje extremas caras de pau não é, infelizmente, novidade. Não vou escrever sobre os enormes e tristes escândalos que nos afligem. Mas não posso deixar de mencionar uma notícia que acabei de ler sobre o “caso sharapova”.

 

 

Em um esforço de parar a sangria financeira que deve estar afligindo o seu bolso e o de pessoas que ganham com ela, Sharapova acaba de dizer que instruiu a empresa Sugarpova, que fabrica balas e doces e que é dela mesma, que a tire de porta voz da empresa até que o julgamento de seu caso saia.

 

 

Então é isso. A moça é dona da empresa, mas em uma tentativa de distanciar a empresa dela mesmo, tentando evitar a contaminação, pede à empresa que não a tenha mais como porta voz. Então tá. Pelo menos, mesmo que pela razão errada, é o contrário do que acontece por aqui.

 

 

Com inúmeros patrocinadores pulando fora, ou suspendendo, contratos até segunda ordem, agora é esperar para ver qual será a posição de sua parceira Head. A empresa tem um contrato de raquetes com a russa/americana e, ao contrário da Nike, por exemplo, que em oito horas se manifestou pela suspensão do contrato, disse que não só não vai suspender como vai fazer uma extensão do mesmo.

 

 

No entanto, outro contratado da Head, o britânico Andy Murray também se manifestou. Disse que se Maria foi pega tomando o que não devia tem que ser suspensa mesmo – ela e/ou qualquer um. Ainda pediu mais exames. E que não entende como seu patrocinador pode ter a posição que divulgou. O rapaz não estava nada satisfeito e chegou a mencionar a possibilidade de terminar o seu contrato. Isso ainda vai dar pano pra manga e separar o joio do trigo a respeito de antidoping.

Autor: Tags: ,