Publicidade

sexta-feira, 29 de maio de 2015 Roland Garros, Sem categoria, Tênis Feminino | 09:25

Uma sexta feira

Compartilhe: Twitter

estou assistindo na quadra central a partida entre Alice corneta e lucic-baroni. Jogão! Nenhuma das duas é favorita ao título. Nenhuma das duas super estrela ou tem título de GS. Nenhuma delas é top ten. mas o que as meninas estão dando na bolinha é uma grandeza. Além disso, emociona em ver o que as duas estão se entregando à batalha. Lutam como se não tivesse amanhã. Sem falar da coragem. Ambas jogando no limite, sem medo de errar é sem receio de fazer o que é preciso. Uma tributo ao tênis feminino.

No passado não pensava que Alize tivesse dentro dela o necessário. Ela fazia o estilo periguei, com o narizinha arrebitado. Mas já faz uns dois ou três anos que vem crescendo, mesmo dentro de suas limitações. Além disso, se hoje tem uma carreira é porque tem um coração bem grande.

lucic apareceu mais do que dez anos atrás como uma juvenil que seria a próxima cachorrinha do circuito. Mas tinha um daqueles país infernais e acabou se afastando das quadras, cedendo à horrível pressão. Poucos anos atrás voltou à carreira, sem nunca atingir o brilho prometido. Mas tem golpes sólidos e dá na bola com uma força que não deve à ninguém é um desprendimento que beira a irresponsabilidade. As bolas só entram o que entram pela técnica apurada.

a partida foi decidida na bacia das almas 4/6 6/3 7/5 oferecendo todos os componentes necessários à um grande espetáculo, da qualidade tecnica ao drama de uma batalha sem um favorito até a última bola. O tênis feminino mudou e pra muito melhor.

Autor: Tags: