Publicidade

terça-feira, 3 de junho de 2014 Juvenis, Novak Djokovic, Rafael Nadal, Roland Garros, Tênis Brasileiro, Tênis Masculino | 21:35

O confronto

Compartilhe: Twitter

O Ernst Gulbis decidiu que este seria o seu Grand Slam. Depois de anos aprontando pelo circuito e pela vida decidiu jogar tênis. Perigoso sempre foi. Bater Federer deve ter lhe dado uma boa injeçao do Confiatrix, porque ele castigou o Berdich sem dó. A pergunta é; ele pode bater o Djoko? A resposta positiva exige dois cenários. Primeiro que jogue bem cinco sets. E quando digo bem, quero dizer muito bem! E que mantenha o emocional até a hora de apertar a mao do adversário. Porque senao o outro morde. Cabeça mesmo o letao nao tem para bater o sérvio, que é uma das maiores forças mentais do circuito, atrás só do Animal Rafa. Entao Gulbis terá que jogar muito e Djoko abaixo de seu padrao de semifinal de Grand Slam. Senao dá Djoko, que está babando para vencer RG pela primeira vez.

Nadal deve varrer Ferrer, a final do ano passado está na cabeça de ambos, com certeza. O fato de ser jogada na SL e nao na Central, que é o quintal do Animal, ajuda Ferrer. Mas ele vai precisar mais do que isso. E esse mais terá que vir de alguma bobeira do Animal.

O jogo, que tem tudo para ser “O Confronto” de RG 2014 será na Quadra Central – ManoMonfils e MalaMurray. Este torneio está fraquinho de grandes jogos. Só me lembro de Federer x Gulbis, e mesmo assim Federer pisou na bola muito cedo no quinto. Nao deu aquele friozinha na barriga.

Esses dois contra atacadores e dois físicos privilegiados adoooram pontos longos. Podem bater o recorde de tempo de jogo em RG. Se nao me falha a memória, um confronto entre os franceses Santoro e Clement – 6 1/2hrs de empurraçao de bola em 2004. Como os dois sao malucos de dar dó, é melhor nao se apostar no jogo. E ganha quem tiver coragem de atacar na hora da onça beber água.

Se já era bom torcer pelo mineirinho Bruno Soares, ficou melhor ao ele escolher a Secretária Schvedova como parceira. Gosto dela e ainda me é uma incógnita o porque da moça nao se dar melhor nas simples. Mas é boa duplista, com ótimas devoluçoes, um bom saque e se vira na rede. Os dois deram um cascudo na dupla do coroa Nestor e a cavala Mladenovic e jogam a semifinal contra uma duplinha fantasma; Groenefeld/Rojer. Verdade seja dita, se chegaram à semis nao podem ser ruins. Mas sou mais a “nossa” dupla.

O juvenil Orlando Luz está socando os adversários. Bateu o russo Medvedev, um tenista que, com certeza, vai fazer carreira nem que seja só pelo serviço. Orlando nem piscou. Enfiou dois sets rapidinhos (1 e 3) no russo e está nas quartas. O garoto é muito forte mentalmente, o que é uma grande qualidade em um juvenil – veio para Paris para ganhar. O outro brasileiro, Marcelo Zormann, joga hoje contra outro russo, Khachanov, cabeça 3.

Autor: Tags: