Publicidade

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014 Aberto da Austrália, Tênis Masculino | 12:03

Sonhou

Compartilhe: Twitter

A minha mae sonhou, vários amigos sonharem, comentaristas sonharam, internautas sonharam, fas do mundo inteiro sonharam, até eu, confesso, sonhei. Quem nao sonhou com uma final suíça no grand slam da Austrália, reunindo nao só dois tenistas do país do relógio cuco mas, principalmente dois tenistas com uma esquerda de uma mao e um tênis extremamente plástico, provavelmente a ultima chance na história de tal coisa acontecer? Bem, um cara eu garanto nao sonhou, nem cogitou tal hipótese; Rafael Nadal.

Pode arrumar o topete, comer chocolate da Lindt, ter a torcida do Laver, usar Rolex no pulso, voar em seu private jet e até mesmo contratar o Edberg que a coisa nao vai rolar. O espanhol é mais competidor do que o Federer, que começa a passar mal assim que descobre que na próxima rodada vai enfrentar o rival do qual, para sua maior frustraçao, virou freguês.

Federer jogou bem e de igual para igual o 1o set, provando que jogo para tal ele tem – o buraco é mais embaixo. Quando perdeu, fácil, o TB, deixou, mais uma vez, a depressao bater. E deprê ninguém vai ganhar sequer set do Animal. Parece brincadeira o bloqueio que o suíço tem com o espanhol. Assim como é incrível a confiança que Rafa tem contra Federer.

O assunto já fica claro desde o início. Mais uma vez o topetudo ficou de pé na rede batendo papo com o juiz de cadeira enquanto Rafa chupava saquinho, tomava aguinha e suquinho e depois ficava girando a garrafinha. O cara faz tudo isso de caso pensado. E o Fed fica lá passando pelo mesmo ritual otário. Aí o Animal vai pulando como touro bravo na direçao do oponente e fica alí encarando – e o Fed com tremenda cara de paisagem como se nao fosse com ele enquanto outra viaja na intimidaçao.

Para me deixar mais aflito, Federer entrou naquele joguinho ridículo no sorteio. O juiz pergunta a Rafa, o melhor rankeado, o se ele quer escolher o lado da moeda. Rafa, miguelao, passa a bola para Federer. Que escolhe o lado posto de onde está?! (Tá de brincadeira, por causa do sol noturno??) Aí o espanhol emenda com aquilo que era sua vontade desde o início: saca aí você pra ver se eu quebro de cara.

Os dois tenistas tem estilos, físicos e idades distintas. Os dois tem vantagens e desvantagens quando se enfrentam. Mas, no final, sao os tais quesitos nadalisticos que fazem a diferença. O espanhol quer mais, briga mais, foca mais, está mais disposto a sofrer. Eu só pergunto uma coisa aos meus leitores: alguém aí já jogou tenis com uma bolha daquele tamanho na mao??!! E 99.99999% das pessoas – incluindo aí a minha mae, vários amigos, comentaristas, internautas, fas do mundo inteiro – que já pegaram em uma raquete de tênis usariam a tal cratera na mao para construir a maior desculpa que já se usou para perder um jogo de tênis. Nao o Animal Nadal.

Autor: Tags: