Publicidade

domingo, 22 de setembro de 2013 Tênis Brasileiro | 16:54

Pitada

Compartilhe: Twitter

Uma coisa mudou com certeza no circuito. Hoje em dia os tenistas entendem infinitamente melhor o conceito, a necessidade e os benefícios do marketing pessoal. Pouco tempo atrás era um tanto difícil, se nao impossível, convencer a maioria dessas vantagens para sua carreira. O foco era no que acontecia nas quadras e o resto, bem, era resto. Em épocas de multi comunicaçao e a força do marketing movimentando montanhas de dinheiro, de inúmeras maneiras, aos poucos os tenistas, e outros atletas, quase que alegremente, abraçaram o marketing pessoal e, como consequencia, o marketing como um todo – porque ele faz uma diferença no bolso e tenista profissional é, como diz o nome, um profissional atrás de um melhor e mais gordo cheque no fim de cada mês.

Na verdade, é um processo que só traz benefícios para todos os envolvidos. O atleta tem melhor exposiçao, os fas mais oportunidades de conhecer o seu ídolo e os patrocinadores mais ferramentas de vender seus produtos. É óbvio que, como tudo, o equilíbrio é ponto ideal. Se antes tinha gente que fazia de menos, existem outros agora os que fazem demais. E quando demais é que nem açucar, enjoa. Mas, quando bem feito, serve inclusive para distrair, no bom sentindo, e fazer a tensa vida do atleta menos estressante e mais interessante.

Os duplistas, aqueles que nunca jogam simples, sempre foram quase que marginalizados no circuito, por organizadores de torneios, seus ferrenhos adversários, como pelo público, que adora um dupla, mas nao prestigia como poderia. Outro dia um amigo, que nao segue o Tênis de tao perto, surpreendeu-se ao saber que um duplista ganha 10% da premiaçao de mesma rodada de um singlista. Agora que a TV brasileira, finalmente, começa a mostrar as finais de duplas, pelo sucesso de nossos duplistas, e a ESPN foi a primeira a fazê-lo, até pela minha insistência, conferimos, nas arquibancadas, o quanto menos público ela atrai, comparado com as de simples. Inúmeras vezes os organizadores tentaram acabar com os duplistas, por conta de suas regalias e prêmios, mas sempre foram barrados pela ATP – nao sem concessoes por parte desta – graças ao lobby e o marketing dos duplistas. Os caras sao bons, mas, como sabemos, a necessidade é a mae da criatividade.

O mineiro Bruno Soares, #4 do ranking mundial, é o nosso maior ídolo do tênis na atualidade. Nunca aconteceu antes, pelo menos por aqui, talvez na Índia, de um duplista ser mais ídolo do que nosso maior singlista – Cássio Motta foi #3 do mundo, apesar da ATP dizer que foi #4, mas ninguém dava muita bola em uma época sem internet, sem TV fechada e o televisionamento semanas de torneios. Na sua época os ídolos eram Carlos Kirmayr, que foi #7 do mundo. Mas, entre eles ele só uma final de GS (Cássio em RG) e Bruno já foi a quatro.

Com Thomaz Bellucci saindo fora dos top100 e Bruno chegando, consistentemente, à finais de Grand Slams, ficou um jogo cartas marcadas. Além disso, e aí está um detalhe muito importante, Bruno entende o conceito de marketing pessoal, que inclui uma boa pitada de charme pessoal, que se tem ou nao e que faz um mar de diferença. O mineiro é bem falante, sabe levar uma conversa adiante, tem conteúdo, personalidade e sabe bem o valor de encantar coletiva e individualmente. É difícil encontrar alguém que nao goste dele – eu nao conheço – e, pelo contrário, é uma das primeiras afirmaçoes que as pessoas fazem a seu respeito. Conquistando vitórias e obtendo resultados, em um esporte que atravessa uma crise de boas notícias em nosso país, ele começa a conquistar seu espaço. A nossa sorte, e dela estamos precisando, é que esse espaço é conquistado por alguém com seu perfil, o que nos leva, pelo menos nesse quesito, aos tempos de Gustavo Kuerten que saudades deixou.

Neste ultimo sábado, Bruno esteve no Esporte Clube Pinheiros, participando de um evento em comemoraçao dos 114 anos do clube. Foram duas horas na Quadra 9, a principal do Clube, em evento que encantou aos que estiveram presentes. Mais detalhes do que ali aconteceu eu vou contar no próximo Post, assim como em outro vou contar um pouco de nossa conversa no jantar na noite anterior quando o rapaz me contou alguns de seus planos, no curto e no longo prazo.

brunomulheres cópia

 

 

Autor: Tags: