Publicidade

segunda-feira, 9 de setembro de 2013 Tênis Masculino, US Open | 22:51

Houdini e o Mágico

Compartilhe: Twitter

Deixei de ir jogar tênis, algo perene marcado para as 2as feiras, para ver a final. Nenhuma novidade. Só jogo foi bom enquanto durou, só que só durou até o 4×4 no terceiro set. O fatídico game, pelo menos para Novak Djokovic.

O sérvio teve entao 0x40 no saque de Rafa Nadal, para quebrar e sacar pelo set no 5×4, após em momento tenso quando Nadal, no 0x15, tropeçou e se estatelou no chao sem conseguir bater na bola. Levantou como um relampago, ao contrário de outros que fariam um dramalhao. Perdeu próximo ponto e, como um super campeao, encarou o momento mais dramático e decisivo da final.

El Djoko deixou escapar. E essas marcadas custam caro. Mais caro do que no placar é o custo no emocional e no mental dali para a frente, se nao se estiver preparado para o perdao e para a luta. Quando o game igualou, os dois sabiam que ali as fichas, de repente, ficaram beeeem altas. O sérvio deu aquela encolhidinha e o espanhol deu aquela crescida – e como esse cara é ESPETACULAR. É assim que se escrevem as páginas da história do tênis; nos detalhes, naquele extra que um consegue impor ao outro. No Tênis nao tem conversa. Nao tem empate. Um vence, o outro perde. Ao vencedor as batatas.

Depois daquele fatídico game El Djoko deu uma de Houdini e desapareceu da quadra. Dos nove games seguintes ele só fez um. É muita piraçao para uma final. Nem se pode dizer que Nadal viajou na confiança. Na verdade, no 4o set jogou mais para o feijao com arroz do que para o padrao que vinha jogando. Mas se o adversário tomou Pirol, reza o  bom senso que nao é hora de ficar arriscando cobras e lagartos e sim levar o cavalo à faixa de chegada e correr para o abraço. E foi isso que o Animal fez. Levou o jogo nas pontas dos dedos.

Djoko já esteve mais forte mentalmente. Uma de suas características, assim como do rapaz que estava do outro lado da rede, é administrar como muitos poucos na história frustraçoes e decepçoes. Assim, com a final de hoje, quem se decepciona também é o fa do sérvio, que nao está habituado com essas entregas da rapadura por parte do Novak.

Insisto, pela qualidade apresentada por ambos até o fatídico nono game do 3o set o jogo prometia como mais um dos fantáticos jogos que ambos já realizaram. E nao tem tititi de cansaço físico – o escorregao foi mental, algo que, isto sim, vai demorar um tempo do sérvio se perdoar – mas agora o feijao está no chao e a grana em Maillorca. E o Animal, mais uma vez, mostrou como se faz um banquete com feijao com arroz – é um campeao. É O Magico!

 

Autor: Tags: ,