Publicidade

quinta-feira, 18 de julho de 2013 Sem categoria, Tênis Brasileiro, Tênis Masculino | 13:08

Nas alturas

Compartilhe: Twitter

Só de curiosidade fui dar uma olhada na chave de Bogotá. Por que? Porque agora que o Marcos Daniel nao joga mais, outros pretendentes e interessados podem fazer a longa viagem da Europa à Colombia, o que nao é mole nao, para tirar proveito da altitude.

 

E quem estaria interessado? Sao os sacadores e voleadores que procuram a cidade que fica a 2650m de altura, o que dá uma tremenda vantagem aos tenistas-gigantes. Ou alguém pode imaginar outras razoes para Anderson, Guccione – que passou pelo qualy, mas nao pelo Giraldo, que conhece bem o jogo da altitude – o Karlovic, que até pensei tivesse abandonado a raquete, mas segue firme na chave, o Popsil?

 

O Tipsarevic, que é um “anao”, também está por lá, sendo o cabeça 1. Mas aí á a grana falando mais alto. Apesar de que um dos primeiros títulos do rapaz foi em Gramado, também em certa altitude (830m) e também jogado em piso duro.

 

É um torneio “aberto”, onde o Anderson é o maior favorito, mas os colombianos, que conhecem o assunto, vao tentar reverter esse favoritismo. Mas por ser em quadra dura, fica sendo muito mais parte da “abertura” do circuito americano de duras, do que parte do “encerramento” de saibro, piso que sempre foi o tradicional na Colombia.

 

Autor: Tags: