Publicidade

terça-feira, 4 de junho de 2013 Roland Garros | 10:38

Parceiros

Compartilhe: Twitter

O jogo entre os mineiros nunca decolou de fato. Bruno Soares e seu parceiro Paya estavam focados e totalmente comprometidos com o match. Já os adversários, Melo e Dodig nao tanto. Dodig era o melhor tenista em quadra, nao necessariamente o melhor duplista, mas o que cansou mais rápido do jogo. Algo sutil, mas real.

Nas duplas o jogo muda muito rápido e qq desatenção, faça nao, pode custar o jogo. Talvez aquele fio de nao comprometimento mexesse com a cabeça de Melo, talvez até tirasse um pouco de sua confiança. Talvez fosse o inverso. O fato é que duas quebras decidiram a partida, enquanto os perdedores tiveram inúmeros break points e nao conseguiram cacifar.

nao conseguiram porque Soares e Peya fecharam as portas. Bruno melhorou muito seu tênis e Peya é um parceiro dedicado e comprometido. Os dois tem todos os fundamentos das duplas e jogam intensos o tempo todo, um diferencial. Além disso é claro que ambos estão confiantes e tem confiança em seus parceiros. Nao dá para dizer aonde podem ir.

Marcelo Melo acaba de entrar em quadra para jogar duplas mistas com a parceira Huber contra Jankovic e Pães. Se ganharem enfrentam, ainda hoje, Bruno e Raymond. Seria a terceira partida do dia de Melo e a segunda contra Bruno. Para quem jogavam juntos é dose…

Autor: Tags: ,