Publicidade

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013 Tênis Feminino | 15:05

Passando o bastão

Compartilhe: Twitter

Posso estar errado, duvido, mas em breve o tênis feminino americano não dependerá mais das irmãs Williams para conquistas como foi o caso na ultima década.

Durante o Aberto da Austrália assisti algumas tenistas que mostraram qualidades  que podem agitar o circuito. Jamie Hampton foi uma delas. A moça, que recém completou 23 anos tem muito talento, bate bonito, pode jogar, só não sei se tem a cabeça vencedora. Passou pela Ursula Radwanska, Khumkhum e perdeu no 3º set para a Azarenka.

Mas temos algumas ainda mais jovens e surpreendentes. Madison Keys, que ainda vai completar 18 anos em Fevereiro, pega pesado, tem bom tamanho e golpes pesados, jogou seu 1º Grand Slam, passou pela Dellacqua e a Paszek, e perdeu em jogo parelho para a Kerber.

Mas quem colocou as manguinhas de fora de uma vez foi a Sloane Stephens que, não sem uma ponta de ironia, mostrou pouco respeito pela coleguinha e suposta mentora Serena Williams, passando assim para a semifinal como a zebra do evento. Ela já era #25 do ranking, antes do AA.

É claro que a moça foi favorecida por uma evidente contusão de Serena Williams no meio do 2º set. Ele até tremeu para fechar este set, mas passou o teste, soube fechar e administrar o set final.

Chegar a uma semifinal de GS aos 20 anos é uma conquista. Em especial para o tênis americano que vem investindo barbaridades em dólares sem o sucesso esperado. Acreditar em Oudin etc não levou a nada. Agora as tenistas americanas tem uma representante brigando por títulos de GS, que pode abrir as portas para outras arrojadas e confiantes, enquanto os homens só apresentaram recentemente um Ryan Harrison, que tem muito feijão para comer para oferecer sonhos ao pessoal de casa.

Sloane – lembra alguém?

Autor: Tags: ,