Publicidade

segunda-feira, 30 de julho de 2012 Olimpíadas, Tênis Feminino | 10:39

Badminton

Compartilhe: Twitter

Como alternativa acompanhei um pouco do badminton. Bem interessante. O jogo requer, além de muita agilidade e pernas, uma “mão” incrível, algo na linha de como era o tênis nos tempos antigos, quando a habilidade falava mais alto do que hoje.

Assisti um pouco da vitória de uma chinesa de Formosa, mirrada e ágil, sobre uma finlandesa grandona e mais dura e depois a vitória de um russo de 2m, bem ágil para o tamanho e abusando da envergadura para cobrir a quadra – chama aí o Isner para assistir-, sobre o chinês com as características opostas. Ou seja, em cada uma das disputas prevaleceu um perfil.

Mas o que gostei mais é que o esporte exige pontos razoavelmente longos e, o melhor, muitas alternativas de alturas, entre lobs e curtas, e forças, alternam pancadas com carinhos só possíveis para quem tem “mão” sobrando e pleno domínio da ação do pulso. Além disso, o jogo é extremamente tático, já que as variações acima permitem angulações, curtas e lobs e contra-pés. Para quem gota de um jogo ágil e tático é um prato cheio. E ainda não assisti as duplas, que são ainda mais ágeis e plásticas.

No fim voltei para o tênis e a Azarenka e achei a bielorussa um pouco limitada. Isso que dá comparar.

Autor: Tags: ,