Publicidade

domingo, 29 de julho de 2012 Olimpíadas, Tênis Brasileiro | 15:04

Country side

Compartilhe: Twitter

Estava assistindo um pouco do jogo da Radwanska e a Georges quando minha mulher vira para mim e pergunta – mas você não disse que é difícil conseguir ingressos para as Olimpíadas? As imagens mostravam centenas de lugares vazios na Quadra Central, especialmente próximo à quadra. Teve uma hora que não tinha ninguém na tal Royal Box.

Expliquei que aqueles lugares deviam ser de patrocinadores e convidados e que esse pessoal, como tem vários convites, acabam ficando com os ingressos nas mãos enquanto vão a outros esportes ou simplesmente nem na cidade estão. O pessoal recebe o convite semanas antes e nem sabe aonde vai naquele mar de opções. Sempre foi assim, enquanto milhares ficam sem sequer opção de comprar ingressos.

Pois a mídia inglesa caiu de pau no Comitê Olímpico por conta desse absurdo. A mídia pede providencias e o Comitê declara que vai dar um jeito na situação, pegando de volta ingressos de quem não os está utilizando. Para mim uma declaração para inglês ver.

Estou adorando a cobertura olímpica – dos quatro canais nas TV fechadas a portais da internet com tudo quanto é esporte ao vivo. Parabéns a todos, pelo esforço e o resultado, independente das gafes e erros, que só comete quem algo faz.

Com a maratona olímpica acontece de tudo um pouco. De eu acompanhando a corrida ciclística das mulheres – acho que 140 km – só para curtir o beautiful english country side, a um narrador da SporTV, que narrou a partida do Djokovic como se fosse futebol – óbvio não era um dos narradores de tênis do canal que já tem a manha, especialmente o Eusébio, que é muito bom. Mas o rapaz caiu ali de para quedas e teve seu grande momento quando nos informou que o Fognini era o Djokovic e então ficou uns 45 segundos em silencio enquanto explicavam quem era quem.

E agora de volta ao Bellucci, que já ganhou o 1º set do Tsonga, a quem o narrador de hoje chamou de rodada mais fácil do que a dos irmãos Bryan de ontem – o que não sei se compro tão facilmente.

Autor: Tags: