Publicidade

quarta-feira, 20 de julho de 2011 Tênis Brasileiro, Tênis Masculino | 23:40

Calendário

Compartilhe: Twitter

Muita conversa sobre o calendário de Thomaz Bellucci. Diferentes opiniões, algumas realistas, outras mais opinativas e não poucas sofasistas.

A maneira mais fácil, e imprescindível, de entender o desenho do calendário da temporada de quadras duras na América do Norte, que culmina com o U.S. Open, é entende-lo pelo ponto de vista do tenista, no caso assessorado pelo seu técnico.
Ao contratar Larri Passos, Bellucci tinha em mente, bem claro, a vontade de dar mais um pulo do gato na sua carreira. Top 20 ele já foi, sua vontade é ser Top 10. Para isso, sabe ser muito importante se dar bem nos Grand Slams – é para eles que seus olhos, assim como o da maioria dos top players, são direcionados.

Roland Garros e as quadras de saibro já eram. Agora é o U.S. Open e suas quadras duras. Por isso, Bellucci abdicou dos últimos torneios no saibro, mesmo Gstaad, onde já venceu, para focar nas duras. Isso é bem claro e demonstra um comprometimento com sua estratégia e um sinal de amadurecimento, independente de dar certo ou não.

Alguns insistiram que ele deveria ir à Atlanta, primeiro torneio da gira. Se o fizesse iria empilhar com a Copa Davis e os torneios anteriores. Daquela maneira, teve um tempo para treinar e assimilar, mesmo que pouco, as mudanças que o piso exige. Algo que, no caso dele, é importante, considerando suas dificuldades. Thomaz deixa claro que está também investindo em aprender e melhorar seu jogo sobre as duras, algo que escrevo aqui há tempos ser obrigatório para quem tem suas ambições e talentos.

Thomaz jogará cinco torneios, começando em Los Angeles na semana que vem, completando com Washington, Montreal, Cincinnati e N. York o que está, sob qualquer ponto de vista compreensível, de ótimo tamanho. Se não estivesse ainda aprendendo eu diria até que é um pouco demais. Mas com cinco dá para administrar. Se vai mal pisa no acelerador, se for bem administra.

A decisão tem que ser olhada e considerada pelo momento do tenista, seus objetivos e sua realidade. Tudo isso considerado, o calendário está bem desenhado e mostra clareza de estratégia e coragem em assumir suas responsabilidades, deixar a zona de conforto de quem está contente com o óbvio. O resultado disso é o que Thomas foi atrás, embarcando esta noite para Los Angeles. Aos torcedores e tenistas em geral resta acompanhar, quiçá aprender, porque estou porraqui de ver nossos tenistas, inclusive Bellucci, se complicarem todos nesse quesito importantíssimo na carreira de um jogador.

Bellucci – nas duras

Autor: Tags: ,