Publicidade

Arquivo de maio, 2008

sábado, 31 de maio de 2008 Tênis Masculino | 17:18

as oitavas em paris

Compartilhe: Twitter

A partir de amanhã, Domingo, começam as oitavas de finais, femininas e masculinas. Vendo o que já aconteceu na 3ª rodada, antecipa-se partidas de deixar os cabelos em pé. A grande vantagem dos Grand Slams, nas chaves masculinas, é que as partidas em melhor de cinco sets oferecem uma qualidade que alia emocional, técnica e física diferente dos outros torneios. As partidas permitem mais mudanças de ritmo do que as em três sets e exigem muito mais dos jogadores.

Hoje, duas partidas deixaram as arquibancadas fervendo. O chileno Gonzalez virou após estar perdendo por 2×0 em sets, para o suíço Wawrinca, e o croata Ljiubicic virou para cima do russo Davydenko, que continua desmoronando emocionalmente nos grandes torneios.

Pelas oitavas de final, Federer enfrenta Bennetau e não deve ter maiores problemas do que a torcida contra. Gonzales enfrenta o único americano vivo na chave, Robby Ginepri. O chileno é favorito, especialmente após a injeção de confiança na virada sobre Wawrinka. Ivan Ljiubicic enfrenta o mascarado francês Monfils, tenista muito atlético e motivado por jogar em casa. Estranhamente, Ljiubicic nunca joga no seu padrão nos GS. O galã de Praga Stepanek vai sacar e volear, e é uma delícia assistí-lo, para cima do David Ferrer, um espanhol que nunca larga o osso e corre por fora rumo às finais.

Outro francês, o maluco-beleza Michael Llodra, que vem tendo sua melhor temporada em simples, vai para cima do letão Gulbis, um jovem que enfia a mão na bola como poucos, e, em breve, estará incomodando os melhores. Paul Mathieu, sob a orientação do tri-campeão de Roland Garros, Mats Wilander, encara Novak Djokovic, que briga neste torneio com Rafael Nadal para ver quem fica como 2º do ranking mundial. O surpreendente Frances Chardy, que bate forte e apareceu do nada, tentará intimidar o espanhol Almagro, um dos tenistas de maior sucesso nas quadras de saibro em 2008. Finalmente, Rafael Nadal, deve despachar o conterrâneo Verdasco, um canhoto habilidoso que não deve sobreviver à fúria de colega.

Autor: Tags:

Tênis Masculino | 17:18

as oitavas em paris

Compartilhe: Twitter

A partir de amanhã, Domingo, começam as oitavas de finais, femininas e masculinas. Vendo o que já aconteceu na 3ª rodada, antecipa-se partidas de deixar os cabelos em pé. A grande vantagem dos Grand Slams, nas chaves masculinas, é que as partidas em melhor de cinco sets oferecem uma qualidade que alia emocional, técnica e física diferente dos outros torneios. As partidas permitem mais mudanças de ritmo do que as em três sets e exigem muito mais dos jogadores.

Hoje, duas partidas deixaram as arquibancadas fervendo. O chileno Gonzalez virou após estar perdendo por 2×0 em sets, para o suíço Wawrinca, e o croata Ljiubicic virou para cima do russo Davydenko, que continua desmoronando emocionalmente nos grandes torneios.

Pelas oitavas de final, Federer enfrenta Bennetau e não deve ter maiores problemas do que a torcida contra. Gonzales enfrenta o único americano vivo na chave, Robby Ginepri. O chileno é favorito, especialmente após a injeção de confiança na virada sobre Wawrinka. Ivan Ljiubicic enfrenta o mascarado francês Monfils, tenista muito atlético e motivado por jogar em casa. Estranhamente, Ljiubicic nunca joga no seu padrão nos GS. O galã de Praga Stepanek vai sacar e volear, e é uma delícia assistí-lo, para cima do David Ferrer, um espanhol que nunca larga o osso e corre por fora rumo às finais.

Outro francês, o maluco-beleza Michael Llodra, que vem tendo sua melhor temporada em simples, vai para cima do letão Gulbis, um jovem que enfia a mão na bola como poucos, e, em breve, estará incomodando os melhores. Paul Mathieu, sob a orientação do tri-campeão de Roland Garros, Mats Wilander, encara Novak Djokovic, que briga neste torneio com Rafael Nadal para ver quem fica como 2º do ranking mundial. O surpreendente Frances Chardy, que bate forte e apareceu do nada, tentará intimidar o espanhol Almagro, um dos tenistas de maior sucesso nas quadras de saibro em 2008. Finalmente, Rafael Nadal, deve despachar o conterrâneo Verdasco, um canhoto habilidoso que não deve sobreviver à fúria de colega.

Autor: Tags:

Tênis Masculino | 16:38

por favor, perca

Compartilhe: Twitter

A história ainda está mal contada, mas deve dar o que falar. A tenista japonesa Akiko Morigami, acusa o técnico de sua equipe nacional, de pedir, imediatamente antes da partida de duplas, pela primeira rodada de Roland Garros, que entregasse o jogo, o que ajudaria sua parceira a se classificar para os jogos Olimpicos. Morigami e Aiko Nakamura, foram eliminadas por duas chinesas, pelo suspeito placar de 6/0 6/1.

Como a derrota ajudaria Nakamura eu não seu dizer, mas o placar mostra que a partida foi um tanto estranha. E, se Nakamura, tinha interesses em perder, poderia fazê-lo sozinha, sem maiores problemas e sem deixar a parceira saber. Como disse, a história ainda está mal contada e deve, ou pelo menos deveria, ser investigada.


acusando o técnico

Autor: Tags:

Tênis Masculino | 16:38

por favor, perca

Compartilhe: Twitter

A história ainda está mal contada, mas deve dar o que falar. A tenista japonesa Akiko Morigami, acusa o técnico de sua equipe nacional, de pedir, imediatamente antes da partida de duplas, pela primeira rodada de Roland Garros, que entregasse o jogo, o que ajudaria sua parceira a se classificar para os jogos Olimpicos. Morigami e Aiko Nakamura, foram eliminadas por duas chinesas, pelo suspeito placar de 6/0 6/1.

Como a derrota ajudaria Nakamura eu não seu dizer, mas o placar mostra que a partida foi um tanto estranha. E, se Nakamura, tinha interesses em perder, poderia fazê-lo sozinha, sem maiores problemas e sem deixar a parceira saber. Como disse, a história ainda está mal contada e deve, ou pelo menos deveria, ser investigada.



acusando o técnico

Autor: Tags:

sexta-feira, 30 de maio de 2008 Tênis Masculino | 13:52

sexta-feira em roland garros

Compartilhe: Twitter

Segue sendo uma dificuldade atualizar o blog. Acho que uma boa parte dos leitores acompanha as transmissões pela ESPN. E os computadores aqui seguem me apunhalando com os acentos.

Hoje a Ana Ivanovic seguiu sem dificuldades ao vencer a jovem dinamarquesa Carolina Wozniacki, que em breve também estara jogando muito. Mas hoje foi fácil – 6-4 6-1.

Maria Sharapova segue com dificuldades no saibro. Acho que ela esta mais para uma saída precoce do que para um titulo inédito.

O maluquinho Michael Llodra quase fica pelado na Quadra Central, ao começar jogar tudo que tinha por perto para as arquibancadas, pela felicidade de passar para a quarta rodada, ao bater Bolelli, o italiano bonitão.

A Serena Williams, uma grande competidora, mas com certas dificuldades no saibro, foi surpreendida pela eslovaca Srebotinik.

Nadal arrasou, para variar, o finlandês Nieminem. O espanhol não perdeu um set em três rodadas. Mas a sola de seus pés continua dilacerada pela selvageria de seu estilo. Esse problema físico pode incomoda-lo mais para a frente no torneio.

Andy Murray choramingou, berrou. Reclamou, tentou, mas não evitou a derrota para o espanhol Almagro, um dos tenistas de maior sucesso nas quadras de saibro nesta temporada.

Autor: Tags:

Tênis Masculino | 13:52

sexta-feira em roland garros

Compartilhe: Twitter

Segue sendo uma dificuldade atualizar o blog. Acho que uma boa parte dos leitores acompanha as transmissões pela ESPN. E os computadores aqui seguem me apunhalando com os acentos.

Hoje a Ana Ivanovic seguiu sem dificuldades ao vencer a jovem dinamarquesa Carolina Wozniacki, que em breve também estara jogando muito. Mas hoje foi fácil – 6-4 6-1.

Maria Sharapova segue com dificuldades no saibro. Acho que ela esta mais para uma saída precoce do que para um titulo inédito.

O maluquinho Michael Llodra quase fica pelado na Quadra Central, ao começar jogar tudo que tinha por perto para as arquibancadas, pela felicidade de passar para a quarta rodada, ao bater Bolelli, o italiano bonitão.

A Serena Williams, uma grande competidora, mas com certas dificuldades no saibro, foi surpreendida pela eslovaca Srebotinik.

Nadal arrasou, para variar, o finlandês Nieminem. O espanhol não perdeu um set em três rodadas. Mas a sola de seus pés continua dilacerada pela selvageria de seu estilo. Esse problema físico pode incomoda-lo mais para a frente no torneio.

Andy Murray choramingou, berrou. Reclamou, tentou, mas não evitou a derrota para o espanhol Almagro, um dos tenistas de maior sucesso nas quadras de saibro nesta temporada.

Autor: Tags:

quarta-feira, 28 de maio de 2008 Tênis Masculino | 15:05

dois brasileiros em paris

Compartilhe: Twitter

Duas realidades distintas para os tenistas brasileiros em Roland Garros. Marcos Daniel passou para a segunda rodada, graças à desistência do ex-campeão Juan Carlos Ferrero. O gaúcho havia perdido o 1º set no tie-break e estava jogando de igual para igual até o abandono do espanhol.

Ferrero declarou, em estranha entrevista após a partida, que abandonou por dores nas pernas. Essas dores o vêm atormentando há meses, e até agora, apesar de ter realizado diferentes raios-x e imagens de ressonância, não consegue um diagnóstico dos médicos. Disse não entender o que eles falam. Seria uma boa idéia alguém explicar a ele. Deve ser uma situação frustrante, para um tenista que já foi o 1º do ranking, não poder jogar por dores. Parece familiar?

Independente das dores de Ferrero, Daniel está na segunda rodada, onde enfrenta o austríaco Jurgen Melzer. Um espectador me mandou um email durante a transmissão, perguntando se Daniel fica com os pontos do ranking, apesar da vitória vir por desistência. Fica.

O paulista de Tietê, Thomaz Bellucci, acredito, saiu da Quadra Central um tenista melhor do que entrou. Ele, que vinha jogando torneios menores e vencendo, descobriu que tem golpes para jogar com os melhores tenistas do planeta. Durante vários momentos mandou nos pontos, colocou o espanhol para correr, mostrando ter golpes que incomodam e personalidade para entrar na sala de estar do adversário e não se constranger.

Convidar o técnico Leonardo Azevedo para um bom jantar, e repassar o máximo possível do que aconteceu em quadra, seria a melhor maneira de completar o dia para o brasileiro. Há muito que aprender sobre seu próprio jogo, quando se enfrenta o melhor do mundo. Teoricamente, Nadal, na terra, é o cara para expor as fragilidades de um tenista, e com isso possibilitar um crescimento tenístico.

Bellucci mostrou ter golpes, tamanho, atitude, técnica, qualidades para crescer no circuito. Agora, é manter o nível de comprometimento e trabalho com a carreira, algo que tem sido sua realidade até agora, e ter a tranqüilidade de colher os frutos de tal investimento.


bellucci – de olho no futuro

Autor: Tags:

Tênis Masculino | 15:05

dois brasileiros em paris

Compartilhe: Twitter

Duas realidades distintas para os tenistas brasileiros em Roland Garros. Marcos Daniel passou para a segunda rodada, graças à desistência do ex-campeão Juan Carlos Ferrero. O gaúcho havia perdido o 1º set no tie-break e estava jogando de igual para igual até o abandono do espanhol.

Ferrero declarou, em estranha entrevista após a partida, que abandonou por dores nas pernas. Essas dores o vêm atormentando há meses, e até agora, apesar de ter realizado diferentes raios-x e imagens de ressonância, não consegue um diagnóstico dos médicos. Disse não entender o que eles falam. Seria uma boa idéia alguém explicar a ele. Deve ser uma situação frustrante, para um tenista que já foi o 1º do ranking, não poder jogar por dores. Parece familiar?

Independente das dores de Ferrero, Daniel está na segunda rodada, onde enfrenta o austríaco Jurgen Melzer. Um espectador me mandou um email durante a transmissão, perguntando se Daniel fica com os pontos do ranking, apesar da vitória vir por desistência. Fica.

O paulista de Tietê, Thomaz Bellucci, acredito, saiu da Quadra Central um tenista melhor do que entrou. Ele, que vinha jogando torneios menores e vencendo, descobriu que tem golpes para jogar com os melhores tenistas do planeta. Durante vários momentos mandou nos pontos, colocou o espanhol para correr, mostrando ter golpes que incomodam e personalidade para entrar na sala de estar do adversário e não se constranger.

Convidar o técnico Leonardo Azevedo para um bom jantar, e repassar o máximo possível do que aconteceu em quadra, seria a melhor maneira de completar o dia para o brasileiro. Há muito que aprender sobre seu próprio jogo, quando se enfrenta o melhor do mundo. Teoricamente, Nadal, na terra, é o cara para expor as fragilidades de um tenista, e com isso possibilitar um crescimento tenístico.

Bellucci mostrou ter golpes, tamanho, atitude, técnica, qualidades para crescer no circuito. Agora, é manter o nível de comprometimento e trabalho com a carreira, algo que tem sido sua realidade até agora, e ter a tranqüilidade de colher os frutos de tal investimento.



bellucci – de olho no futuro

Autor: Tags:

terça-feira, 27 de maio de 2008 Tênis Masculino | 20:26

às 8h na ESPN

Compartilhe: Twitter

Imagino que o Animal Nadal deva ter destruído uma parte do vestiário de Roland Garros. O homem é um dínamo que precisa de uso diário para não explodir. Já imaginou aquele touro confinado? Deve estar derrubando tudo pelo caminho. Hoje, São Pedro permitiu que ele entrasse em quadra e jogasse dois games! Não dá nem para o cheiro. Para amanhã, a previsão do tempo para Paris é um pouco melhor e colocaram o Nadal para jogar logo na segunda rodada, após o jogo entre Maria Sharapova e Evgenia Rodina.

A previsão de início para o jogo masculino é às 8h. A ESPN-BRASIL começa mostrando o jogo da 1ª do mundo, às 6h, e às 8h, pontualmente, a ESPN Internacional começa a transmissão da Quadra Central, com Marco A. Rodrigues narrando e este que lhes escreve comentando.

Isso quer dizer que, mais uma vez, terei que madrugar, o que não combina muito com meu metabolismo, meus horários de dormir e um mais amplo conceito de vida, que pretendo mudar. Pretendo, mas ainda não consegui. Me lembro sempre da frase de J. M. Turner, o maior pintor inglês e um de meus favoritos. “Enquanto vocês dormem, eu assisto diariamente o nascer do sol, para me inspirar e realizar o meu trabalho.” Para quem não sabe, ninguém pintou o céu e o nascer do sol como esse gênio e trabalhador do século XVIII.

Para aqueles que não assistiram os dois games da partida de Nadal e Thomaz Bellucci – a partida está 1×1 no 1º set -, adianto que o brasileiro entrou em quadra desinibido, confiante, falando grosso e metendo a mão nas bolas. Não se acovardou com o cenário nem com o adversário.

Não sei por quanto tempo ele conseguirá lidar com a pressão do Animal. Mas, pelo menos, demonstrou ter ciência da oportunidade e querer fazer o melhor dela. Para quem quiser mais, se inspire em Turner, se encante com o nascer do sol, aproveite para se deleitar com o 1.88m da Maria e termine por acompanhar o que o brasileiro Bellucci tem a oferecer ao tri-campeão de Roland Garros.


the fighting temeraire – o nascer do sol de turner

Autor: Tags:

Tênis Masculino | 20:26

às 8h na ESPN

Compartilhe: Twitter

Imagino que o Animal Nadal deva ter destruído uma parte do vestiário de Roland Garros. O homem é um dínamo que precisa de uso diário para não explodir. Já imaginou aquele touro confinado? Deve estar derrubando tudo pelo caminho. Hoje, São Pedro permitiu que ele entrasse em quadra e jogasse dois games! Não dá nem para o cheiro. Para amanhã, a previsão do tempo para Paris é um pouco melhor e colocaram o Nadal para jogar logo na segunda rodada, após o jogo entre Maria Sharapova e Evgenia Rodina.

A previsão de início para o jogo masculino é às 8h. A ESPN-BRASIL começa mostrando o jogo da 1ª do mundo, às 6h, e às 8h, pontualmente, a ESPN Internacional começa a transmissão da Quadra Central, com Marco A. Rodrigues narrando e este que lhes escreve comentando.

Isso quer dizer que, mais uma vez, terei que madrugar, o que não combina muito com meu metabolismo, meus horários de dormir e um mais amplo conceito de vida, que pretendo mudar. Pretendo, mas ainda não consegui. Me lembro sempre da frase de J. M. Turner, o maior pintor inglês e um de meus favoritos. “Enquanto vocês dormem, eu assisto diariamente o nascer do sol, para me inspirar e realizar o meu trabalho.” Para quem não sabe, ninguém pintou o céu e o nascer do sol como esse gênio e trabalhador do século XVIII.

Para aqueles que não assistiram os dois games da partida de Nadal e Thomaz Bellucci – a partida está 1×1 no 1º set -, adianto que o brasileiro entrou em quadra desinibido, confiante, falando grosso e metendo a mão nas bolas. Não se acovardou com o cenário nem com o adversário.

Não sei por quanto tempo ele conseguirá lidar com a pressão do Animal. Mas, pelo menos, demonstrou ter ciência da oportunidade e querer fazer o melhor dela. Para quem quiser mais, se inspire em Turner, se encante com o nascer do sol, aproveite para se deleitar com o 1.88m da Maria e termine por acompanhar o que o brasileiro Bellucci tem a oferecer ao tri-campeão de Roland Garros.



the fighting temeraire – o nascer do sol de turner

Autor: Tags:

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última